Rodrigo Cunha elogia suspensão de eleição indireta do governador de Alagoas pelo STF

Da Rádio Senado | 03/05/2022, 19h45

O senador Rodrigo Cunha (União-AL) denunciou o “grande circo” montado no seu estado para a escolha do substituto do ex-governador Renan Calheiros Filho, que deixou o cargo para disputar uma vaga para o Senado, nas eleições de outubro próximo.

Em pronunciamento nesta terça-feira (3), o parlamentar elogiou a determinação do Supremo Tribunal Federal (STF) de suspender a eleição, pela Assembleia Legislativa, do governador tampão e disse que o “grupo comandado pelos Calheiros” tenta nomear o novo governador na base do “acordão”, escolher um “fantoche”, alguém que não faz parte da linha sucessória.

— O teatro, o jogo de cartas marcadas, a manobra orquestrada a portas fechadas para fazer a vontade de poderosos grupos políticos que pensam apenas em poder e se acham donos do estado de Alagoas. Tudo isso sem a participação e sem levar em conta os interesses do povo alagoano, que nem mesmo sabe direito o que está acontecendo — destacou.

Alagoas não possui atualmente vice-governador, pois Luciano Barbosa tinha deixado o cargo ao ser eleito prefeito de Arapiraca.  As eleições indiretas de governador e vice-governador pela Assembleia Legislativa ficarão suspensas até o relator do caso no STF, ministro Gilmar Mendes, se manifestar.

Rodrigo Cunha disse ainda que, sempre que for necessário, vai usar a tribuna do Senado para alertar o Brasil sobre o que está acontecendo em Alagoas, “uma disputa de poder de  forma indiscriminada”.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)