Parlamentares britânicos visitam o Senado e defendem a Amazônia

Da Comunicação Interna | 24/09/2019, 16h57

Uma delegação de cinco parlamentares britânicos visitou o Senado nesta terça-feira (24) para discutir temas como Amazônia, Venezuela, educação e comércio. Eles foram recebidos pelos senadores Antonio Anastasia (PSDB-MG) e Sérgio Petecão (PSD-AC) no Salão Nobre.

O chefe da delegação, Mark Menzies, do Partido Conservador, disse que o Parlamento Britânico reconhece o esforço do Brasil para garantir um crescimento mais limpo. Afirmou ainda estar preocupado com a situação na Venezuela e quis saber o que está sendo feito pelo governo brasileiro para ajudar a população daquele país.

O Lorde Howarth of Newport, título do trabalhista Alan Howarth, disse que o Brasil tem o desafio de preservar a Floresta Amazônica, “o que é um privilégio e uma responsabilidade”. Afinal, ressaltou, é preciso garantir que as pessoas da região se desenvolvam economicamente e, ao mesmo tempo, preservem o meio ambiente.

Martin Vickers, do Partido Conservador, falou do interesse do Reino Unido em desenvolver projetos com o Brasil na área de energias renováveis, além de outras formas de cooperação entre os dois países.

Economia e educação foram os temas abordados pela Baronesa Coussins, título da independente Jean Elizabeth Coussins. Ela falou de sua preocupação quanto ao comércio entre os dois países após a saída do Reino Unido da União Europeia, o Brexit.

— Estaremos prontos para conversar — disse.

O seu país também quer receber mais estudantes brasileiros.

Chris Leslie, do Grupo Independente por Mudanças, falou também sobre as relações comerciais com o Brasil, especialmente nas áreas de seguro e serviços financeiros. E afirmou que os britânicos de Nottingham, que ele representa, também estão preocupados com o meio ambiente. Para que haja desenvolvimento sustentável com preservação da floresta, disse, “todo mundo quer apoiar a população da Amazônia e o povo brasileiro”.

Soberania

O senador Anastasia afirmou aos visitantes que o governo brasileiro tem buscado um ponto de equilíbrio entre proteger um patrimônio da humanidade, referindo-se à floresta, e, ao mesmo tempo, garantir qualidade de vida aos 20 milhões de brasileiros da região.

— Jamais poderemos recursar ajuda internacional, tanto de recursos como de tecnologia. Nós temos uma preocupação grande com os brasileiros que vivem lá. E temos feito um esforço em conjunto com a comunidade internacional, mas respeitando nossa soberania.

O senador Sérgio Petecão afirmou não conhecer ninguém que seja a favor da devastação da Amazônia. Também falou sobre a visita, em agosto, que ele fez ao Peru, que enfrenta o mesmo problema do Brasil em relação à floresta.

— O povo mais pobre do Brasil e o povo mais pobre do Peru estão na Amazônia, que é tão rica.

Petecão propôs aos parlamentares britânicos que os países discutam diretamente com os governadores e prefeitos da região — “onde as pessoas moram” — os projetos de ajuda, para que o dinheiro chegue à população local.

— A Amazônia é muito grande. A preocupação de vocês é importante, e precisamos de apoio. Mas seria muito bom que vocês conhecessem mais a realidade da região. Há muito interesse e muita gente querendo tirar proveito dessa situação — disse, ao falar sobre os incêndios na floresta.

Venezuela

Sobre a Venezuela, Anastasia disse que o Brasil respeita a autodeterminação dos povos, o que afasta a possibilidade de uma intervenção militar. A solução deve ser diplomática, afirmou, o que está sendo debatido com o Grupo de Lima, fórum de chanceleres de países do continente americano para discutir a crise venezuelana.

— Mas sem fechar os olhos para a crise humanitária — disse o senador, lembrando que milhões de refugiados fogem do país, inclusive para o Brasil, aonde chegam por Roraima, um estado pobre.

Com a ajuda das Forças Armadas e de empresários, completou, venezuelanos têm sido transferidos para outras regiões do país, com mais possibilidade de emprego. Anastasia disse ainda que o Brexit poderá trazer mais oportunidades de negócios bilaterais entre Brasil e Reino Unido, como na área de infraestrutura, por meio de parcerias entre governo e iniciativa privada. E elogiou a disposição do Reino Unido em ajudar na área de educação.

O embaixador britânico no Brasil, Vijay Rangarajan, acompanhou os parlamentares, que cancelaram a visita ao Viveiro do Senado e à Câmara dos Deputados, que ocorreria nesta quarta-feira (25). Eles tiveram de voltar a Londres devido à decisão da Suprema Corte britânica de anular a decisão do primeiro-ministro Boris Johnson de suspender as atividades do Parlamento.

A visita foi resultado do convite feito pelo presidente do Grupo Brasileiro da União Inerparlamentgar (UIP), deputado Átila Lins (PP-AM).

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)