Cidinho Santos faz balanço de sua atuação parlamentar ao se despedir do Senado

Da Redação | 19/12/2018, 12h48 - ATUALIZADO EM 19/12/2018, 15h26

O senador Cidinho Santos (PR-MT), em pronunciamento no Plenário do Senado, nesta quarta-feira (19), despediu-se do mandato, lembrando momentos marcantes de seu trabalho no Parlamento, como a votação do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff.

Cidinho foi empossado pela primeira vez em 2012, como primeiro suplente, substituindo o titular da chapa, o ministro da Agricultura Blairo Maggi. Desde então, assumiu o cargo por quatro vezes, num total de três anos como senador.

Em uma retrospectiva de sua atuação parlamentar, Cidinho destacou projetos relevantes dos quais foi relator, citando o RenovaBio (PLS 160/2017, tranformado na Lei 13.756, de 2017), programa de incentivo ao uso de biocombustível renovável, que, segundo o senador, “será um marco para a indústria de etanol e de biodiesel no país”.

— Nos tornamos referência com um programa moderno e ousado para substituir o uso de combustíveis fósseis por combustíveis renováveis. Como consequência, em função da aprovação do RenovaBio, teremos a diminuição de emissão de gases poluentes e o aumento de emprego nas indústrias e nas usinas, que hoje já acontece. Um otimismo que há muito tempo não existia nas usinas de álcool e nas usinas de biodiesel — destacou Cidinho.

O senador ressaltou também sua participação no debate da reforma trabalhista, aprovada pelo Senado em julho de 2017. Segundo ele, a reforma gerou maior segurança para os empreendedores sem mexer nos direitos dos trabalhadores.

Cidinho Santos comentou ainda o seu esforço durante o exercício da legislatura para destinar recursos a todos os municípios do seu estado.

— Tentei, lutei para viabilizar recursos para todos os municípios mato-grossenses, para aquisição de máquinas agrícolas, para pavimentação urbana e para atendimento à saúde — declarou Cidinho.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)