Comenda Câmara Cascudo será entregue nesta segunda-feira

Da Redação | 07/12/2018, 13h54 - ATUALIZADO EM 07/12/2018, 16h31

O Senado fará uma sessão especial no Plenário para entrega da Comenda de Incentivo à Cultura Luís da Câmara Cascudo. O evento está marcado para as 11h desta segunda-feira (10).

Criada em maio deste ano, a premiação destina-se a homenagear personalidades, instituições e grupos que tenham oferecido contribuições relevantes ao registro e ao fortalecimento da cultura, do folclore e dos saberes tradicionais no Brasil.

Nesta primeira edição, serão homenageadas uma instituição e quatro personalidades: Antônio Francisco Teixeira de Melo, cordelista, reconhecido publicamente pela musicalidade de seus poemas; Nelson da Rabeca, ex-cortador de cana alagoano que decidiu fazer o seu próprio violino e mais de 6 mil instrumentos no fundo de sua casa; Nilson Rodrigues da Fonseca, autor, produtor e roteirista de TV e cinema; Pedro Baião, portador de síndrome de Down, que é ator de teatro e de televisão; e a Câmara Brasileira do Livro (CBL), fundada em 1946, que congrega editores, distribuidores, livreiros e vendedores porta a porta.

O conselho, criado em maio por resolução do Senado, também decidiu homenagear in memorian Deífilo Gurgel, falecido em 2012 aos 84 anos, folclorista que dedicou grande parte da sua vida a preservar e tornar conhecida as tradições culturais do Rio Grande do Norte;  João Carlos D’ Ávila Paixão Côrtes, falecido em 2018 aos 91 anos, radialista e pesquisador da cultura gaúcha, considerado referência na promoção e preservação dos costumes gaúchos; e Romualdo Rosário da Costa, o Moa do Katendê, capoeirista assassinado após uma discussão política durante o primeiro turno das eleições de 2018.

Folclore

Luís da Câmara Cascudo (1898-1986) foi historiador, antropólogo, advogado e jornalista. Viveu em Natal (RN) e dedicou-se ao estudo da cultura brasileira. Pesquisador das manifestações culturais, deixou extensa obra, entre as quais O Dicionário do Folclore Brasileiro, de 1952.

A proposta da criação da comenda partiu da senadora Fátima Bezerra (PT-RN).

A comenda será dada pelo Senado anualmente a cinco personalidades, instituições ou grupos, analisados por um conselho composto por um representante de cada um dos partidos políticos com assento na Casa.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)