Randolfe lamenta desistência da COP-25 e pede que governo reveja decisão

Da Redação | 29/11/2018, 13h16 - ATUALIZADO EM 29/11/2018, 14h18

Ao abrir mão de sediar a Conferência do Clima das Nações Unidas de 2019, a COP-25, o Brasil renuncia à condição de líder mundial no tema meio ambiente, afirmou nesta quinta-feira (29) o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

Alegando dificuldades orçamentárias, o Itamaraty comunicou à ONU a desistência da candidatura. O evento será palco das negociações para a implementação do Acordo de Paris, que trata da redução da emissão de gases de efeito estufa pelos países para conter as mudanças climáticas.

O senador lembrou que desde 1992, quando sediou a primeira conferência climática no âmbito da ONU, a Eco-92, o país destaca-se na liderança do bloco das nações em desenvolvimento. Randolfe fez um apelo para que o governo reveja a posição anunciada.

— Temos condições de protagonizar, dirigir, liderar esse debate. Não sediar a Conferência do Clima significa renunciar ao papel de líder — lamentou Randolfe.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)