Regina critica ministro Fachin por levar ao Plenário do STF pedido de Lula

Da Redação | 26/06/2018, 18h03 - ATUALIZADO EM 26/06/2018, 21h04

A senadora Regina Sousa (PT-PI) afirmou nesta terça-feira (26) que o Supremo Tribunal Federal se apequenou, ao se referir à decisão do ministro Edson Fachin, da Segunda Turma do STF, de encaminhar para análise do Plenário da Corte o pedido de liberdade feito pela defesa do ex-presidente Lula. Para ela, Fachin tomou essa decisão ao verificar que a Segunda Turma poderia favorecer Lula.

— Ora, a Segunda Turma é a turma que julga os processos da Lava Jato. Poderia até ir depois para o Pleno, mas, com antecipação, é manobra explícita. Agora não tem como não dizer que Lula é um preso político. Ele está sequestrado para não participar da eleição, essa é que é a verdade. Esse encaminhamento ao pleno foi a confissão disso.

Torcedores brasileiros

Em seu discurso no Plenário, a senadora também cobrou providências do governo em relação aos brasileiros que se aproveitaram do fato de que as russas não compreendem o português para assediar mulheres durante a Copa do Mundo. Para ela, a violência que eles praticaram na Rússia é a mesma que acontece aqui no Brasil.

— Eu fico pensando, perguntando, se aqueles meninos, aqueles rapazes lá, têm mãe, têm irmãs, têm filhas. Ali, deve ter alguns que têm até filhas pequenas, e eu espero que estejam bastante envergonhadas daquela atitude. Eu acho que o Brasil, a embaixada brasileira, tinha que tomar providência de, pelo menos, punir aqueles rapazes, tirando-lhes o direito de continuar a ver a copa, mandando eles de volta.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)