Conselheiros marroquinos participam de audiência pública na Comissão de Relações Exteriores

Carlos Penna Brescianini | 21/03/2018, 17h08 - ATUALIZADO EM 21/03/2018, 18h15

Quatro conselheiros do reino do Marrocos, cargo que naquele país equivale ao Senado brasileiro, participaram de uma audiência pública na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) nesta quarta-feira (21). Os conselheiros foram acompanhados pelo embaixador marroquino Nabil Adghoghi e foram recebidos pelos senadores Fernando Collor de Mello (PTC-AL), presidente da CRE, e Cristovam Buarque (PPS-DF), presidente do grupo Brasil-Marrocos.

Os dois países planejam aumentar o intercâmbio comercial e cultural, já que o Brasil é o terceiro maior parceiro comercial do Marrocos. Segundo Nabil Adghoghi, o seu país é um grande comprador de café e milho do Brasil. Além disso, há planos de estreitar o comércio marítimo e o intercâmbio universitário. Atualmente, há ligação aérea regular entre as cidades de Rio de janeiro, São Paulo, Casablanca e Marrakesh.

Cristovam Buarque salientou que no século 18 o governo de Portugal trouxe ao Brasil marroquinos que se estabeleceram na Região Norte do Brasil, trazendo elementos da cultura daquele país. Prefeito da cidade de Mazagão (AP), Professor Dudão exibiu um curto vídeo em que mostrava grupos culturais da sua cidade cantando canções com semelhantes às canções marroquinas. O prefeito explicou que a cidade de Mazagão foi fundada em 1770 por um grupo de 160 famílias que saíram do Marrocos quando o império português desativou sua colônia naquele país.

Os conselheiros Abdessamad Kayouh, Abdelatif Abdouh, Mohamed Razama e Mohamed Addal e o embaixador Nabil Adghoghi também foram recebidos no Plenário do Senado, onde o presidente da Casa, Eunício de Oliveira, destacou a importância das relações entre o Brasil e o Marrocos.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)