América Latina pode ser protagonista ao abraçar globalização, diz Collor no Marrocos

Da Redação | 27/11/2017, 20h00 - ATUALIZADO EM 27/11/2017, 20h03

O presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE), Fernando Collor (PTC-AL), disse em Rabat, capital do Marrocos, na semana passada, que a América Latina pode assumir um papel de protagonismo e independência no cenário internacional caso escolha a globalização como caminho para suas ações no mundo. A convite da Academia do Reino do Marrocos, o senador proferiu a conferência A América Latina e o Horizonte da Globalização – percurso de navegantes ou de náufragos.  Ele defendeu também a intensificação de parceria comercial com o Marrocos.

Para Collor, é possível ampliar o papel internacional da América Latina principalmente se as elites dirigentes enxergarem os avanços possíveis com a globalização, independentemente de viés ideológico ou político. Ele defendeu a formação de um consórcio pelas nações latino-americanas voltado ao desenvolvimento da biotecnologia, o que seria "uma alternativa de investimento muito mais barata do que um programa espacial ou mesmo a siderurgia, por exemplo".

— Devemos lutar por menos nacionalismos e mais multilateralismos. Por menos protecionismos e mais abertura. Por menos isolacionismos e mais integração. Por menos ideologias e mais pragmatismo. Por menos retórica imatura e mais diálogo responsável — afirmou.

Além da conferência, Collor teve reuniões com autoridades locais, reforçando a relação diplomática entre Brasil e Marrocos. Ele cumpriu agenda de trabalho com o conselheiro do rei Mohammed VI, André Azoulay; com o presidente do Conselho Econômico, Social e Ambiental, Nizar Baraka; com o secretário da Academia do Reino do Marrocos, Abdeljalil Lahjomri, e com chanceler do Marrocos, Nasser Burita.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)