Reguffe critica uso de dinheiro público em fundo partidário

Da Redação e Da Rádio Senado | 27/09/2017, 18h18 - ATUALIZADO EM 27/09/2017, 18h19

O senador Reguffe, que está sem partido e representa o Distrito Federal, protestou contra a aprovação do projeto que criou o fundo para o financiamento das campanhas eleitorais. Em pronunciamento no Plenário nessa quarta-feira (27), ele explicou que foi contrário por acreditar que as eleições devem ser custeadas por doações de pessoas físicas, com limites claros.

Para Reguffe, dinheiro público precisa ser usado em áreas mais importantes, como saúde e educação. Esse fundo está estimado em 1,7 bilhão de reais em 2018. A matéria seguiu para Câmara dos Deputados e para valer nas próximas eleições deve ser aprovada até 7 de outubro.

Reguffe também defendeu ampla mudança nas regras eleitorais. Contou que apresentou propostas de emendas constitucionais, em 2015, com esse objetivo. Uma delas é a que proíbe os parlamentares a se reelegerem mais de uma vez. Também propôs que o voto deixe de ser obrigatório.

— Hoje muitas pessoas votam sem fazer a reflexão devida que esse gesto precisa e merece e às vezes vota em qualquer um. O voto facultativo, além de mais democrático, vai fazer com que a classe política tenha que fazer um trabalho de convencimento de ideias, argumentou o senador.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)