Ângela diz que eventual governo Temer 'já nasceria com a marca da ilegitimidade'

Da Redação | 28/04/2016, 13h13 - ATUALIZADO EM 28/04/2016, 15h23

A senadora Ângela Portela (PT-RR) apontou nesta quinta-feira (28) o que considera uma "ligação íntima entre a conspiração que ocorre no Palácio Jaburu e alguns personagens de trajetória duvidosa". Em pronunciamento no Plenário, a parlamentar disse que um eventual governo de Michel Temer, que, como vice-presidente, ocupa o Palácio do Jaburu, já nasceria com "a marca da ilegitimidade, por ser produto de um golpe parlamentar e pela baixa credibilidade de seus articuladores".

Ângela Portela manifestou sua esperança de que a Operação Lava Jato ande rapidamente "antes que essas figuras tomem de assalto o poder e, de posse dele, tenham condições de dificultar as investigações". Segundo ela, o ministro da Justiça, Eugênio Aragão, anunciou que os recursos para a continuidade da Lava Jato estão assegurados.

A senadora disse não acreditar que os responsáveis pela Lava Jato estejam satisfeitos com o que conseguiram até agora. Por isso, ela afirmou que continua acreditando na seriedade do trabalho da Justiça, da Polícia Federal e do Ministério Público.

— Nunca é demais lembrar que é esse o sentimento também da presidenta Dilma. Afinal, foi o nosso governo que contribuiu de maneira decisiva para que os órgãos de apuração pudessem trabalhar de modo independente, livres de pressões políticas — acrescentou.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)