Benedito de Lira afirma que crises são normais na democracia e pede união

Da Redação | 26/04/2016, 20h25 - ATUALIZADO EM 26/04/2016, 21h14

O senador Benedito de Lira (PP-AL) afirmou nesta terça-feira (26) que as crises que o Brasil enfrenta são próprias de uma democracia e não devem interromper a realização das reformas de que o país precisa. Ele pediu que as diferentes forças políticas brasileiras saibam deixar de lado o “acirramento” e trabalhar juntas.

— É necessário que tenhamos em mente que esses assuntos podem nos prejudicar se o burburinho nos conduzir à paralisia, dificultando que outros debates cruciais venham à tona. O papel central da política é encontrar mecanismos para superação das crises que se abatem sobre qualquer Estado em qualquer tempo e lugar.

Ele mencionou a crise econômica, a Operação Lava Jato e seus desdobramentos e a crise política, simbolizada no processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, como os três grandes temas que monopolizam as atenções do país. Para o senador, é preciso “temperar” essas discussões com uma visão otimista e propositiva.

Benedito argumentou também que não é apenas a classe política que tem a responsabilidade de qualificar o debate no país. A imprensa, segundo ele, tem feito um “papel fundamental” em repercutir as crises e os escândalos de corrupção, mas ela também precisa apontar caminhos para a solução dos impasses nacionais.

O senador citou, entre as reformas estruturantes que o Brasil precisa realizar, o transporte público, a educação, a modernização dos portos, a expansão das malhas viária e ferroviária e o desenvolvimento de formas de geração limpa de energia.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)