Aprovado projeto que estimula empresas a adotar política favorável a doação de sangue e medula

Da Redação | 20/04/2016, 18h05 - ATUALIZADO EM 20/04/2016, 19h20

As empresas que adotarem políticas para conscientizar e estimular os funcionários a doar sangue e medula óssea poderão ganhar o Selo Empresa Solidária com a Vida. É o que prevê o projeto aprovado pelos senadores nesta quarta-feira (20) e que retornou para novo exame na Câmara dos Deputados, uma vez que foi modificado no Senado.

As pessoas jurídicas que receberem o selo poderão usar a marca em propagandas e em publicações promocionais. Além disso, serão inscritas no Cadastro Nacional de Empresas Solidárias com a Vida. A cada ano cinco delas serão premiadas com o título Empresa Campeã de Solidariedade.

Ao defender o PLC 38/2014, o ex-deputado Beto Albuquerque ressaltou que os bancos de sangue e os centros de transplante de medula óssea carecem de doadores. Mesma avaliação tem o relator da proposta na Comissão de Assuntos Sociais, Elmano Férrer (PTB-PI). Para ele, a ideia é que as empresas sejam os intermediários entre os hemocentros e os cidadãos.

Os objetivos do programa, de acordo com a proposta, é homenagear as empresas solidárias com a vida e informar os trabalhadores sobre a doação de sangue e os procedimentos para se fazer parte do Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea. Há ainda o propósito de estimular as empresas a concederem condições ao trabalhador para que ele possa ir doar ou cadastrar-se como doador de medula óssea.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)