Blairo Maggi destaca protagonismo do Brasil nas pesquisas com mineral grafeno

Da Redação e Da Rádio Senado | 25/02/2016, 18h26 - ATUALIZADO EM 25/02/2016, 20h35

O senador Blairo Maggi (PR-MT) afirmou que o Brasil poderá ser um dos protagonistas da quarta grande revolução industrial graças às pesquisas sobre o mineral grafeno realizadas pela Universidade Mackenzie, de São Paulo.

O grafeno é uma das formas cristalinas do carbono, assim como o diamante e o grafite. Blairo explicou que se trata do material mais fino e mais leve do mundo. Ao mesmo tempo, cerca de 200 vezes mais resistente que o aço. Também é visto como solução para vários problemas na área de tecnologia, podendo substituir materiais raros e escassos e baratear o custo para o consumidor final, acrescentou o senador.

O grafeno, de acordo com Blairo Maggi, poderá movimentar um mercado de mais de US$ 1 trilhão em vários setores, como defesa, eletroeletrônicos e semicondutores. Estudos apontam, por exemplo, que, usado em cabo de transmissão de dados, o material pode aumentar em centenas de vezes a velocidade atual da internet.

Blairo Maggi informou que, no dia 2 de março, a Universidade e o Instituto Presbiteriano Mackenzie vão inaugurar, no campus de Higienópolis, o Centro de Pesquisas Avanças em Grafeno da América Latina. Ele afirmou que, no MackGraphe, acadêmicos, pesquisadores e empresas estarão unidos no estudo e desenvolvimento de aplicações práticas para o grafeno.

— Temos que estimular o estudo e a pesquisa. Sair da crise é antes de tudo uma questão de atitude. É ela que faz toda a diferença. Parabenizo, então, o Instituto e a Universidade Mackenzie pela iniciativa. Que ela contagie outros centros de pesquisa e ensino, na busca de alternativas sustentáveis que melhorem a vida do cidadão e tornem o mundo melhor e o Brasil, mais competitivo.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

MAIS NOTÍCIAS SOBRE:
Senador Blairo Maggi