Renan pede investigação sobre violência contra mulheres negras

Da Redação | 18/11/2015, 16h13 - ATUALIZADO EM 19/11/2015, 08h14

Em sessão do Congresso Nacional nesta quarta-feira (18), o presidente do Senado, Renan Calheiros, ouviu denúncia da deputada Benedita da Silva (PT-RJ) de que bombas foram lançadas contra a marcha das mulheres negras que se encaminhava para o Congresso Nacional. A deputada contou que elas foram agredidas pelos manifestantes acampados no gramado em frente ao Congresso.

Renan Calheiros disse que esse é um assunto muito grave e que vai pedir às polícias militar e federal que investiguem a existência de armas no acampamento. O presidente do Senado ainda lembrou que existe um ato do Congresso Nacional para definir que uma ocupação desse tipo só pode ser feita com a anuência conjunta dos presidentes das duas Casas e que essa anuência não existe.

— Nós não concordamos com a ocupação, mesmo assim a ocupação se fez. O presidente do Senado sozinho não pode autorizar, como não pode também mandar que as pessoas sejam retiradas dali, tem que ser uma decisão conjunta do presidente da Câmara e do presidente do Senado. Eu vou conversar com o presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha, mais uma vez, em função dos fatos novos acontecidos e da minha solidariedade às mulheres negras. Da minha parte, eu quero comunicar ao Congresso Nacional que eu vou pedir à Polícia Militar e à Polícia Federal para que investiguem a existência de bombas, de armas e que tomem as providências na forma da lei — determinou Renan.

Da Assessoria de Imprensa da Presidência do Senado

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)