Desembargadores pedem ajuda de Renan para rápida sanção da PEC da Bengala

Da Redação | 30/09/2015, 19h09 - ATUALIZADO EM 30/09/2015, 20h53

Um grupo de 12 desembargadores, integrantes da Associação Nacional da categoria pediu ao presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), nesta quarta-feira (30), que interceda junto à presidente da República, Dilma Rousseff, para a rápida sanção do projeto que vai estender a aposentadoria compulsória de 70 para 75 anos a todos os servidores públicos assim como determinou a chamada PEC da Bengala, que elevou a idade de aposentadoria compulsória dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

As emendas da Câmara dos Deputados ao PLS 274/2015 - Complementar, do senador José Serra (PSDB-SP), foram aprovadas por 65 votos favoráveis e nenhum contrário na noite de terça-feira (29). Os deputados federais excluíram do texto aprovado no Senado os policiais e os diplomatas e servidores do Itamaraty que trabalham no exterior, como oficiais e assistentes de chancelaria.

Estes últimos terão uma regra de transição para que, no prazo de dez anos, haja uma reestruturação nas carreiras. Já os policiais estão autorizados a trabalhar até os 75 anos de idade e não mais até os 65 anos. O Senado concordou com a mudança e aprovou o projeto, que deve ser agora enviado para a sanção da presidente da República.

“Vou agilizar o envio dos autógrafos. Estou disposto a colaborar para agilizar o processo. Podem contar comigo”, garantiu Renan Calheiros. De acordo com o presidente nacional da associação, desembargador Bartolomeu Bueno de Freitas Moraes, existem vários desembargadores que completam 70 anos em menos de dez dias e a categoria, com cerca de 17 mil integrantes, pede urgência na sanção da proposta.

Da Assessoria de Imprensa da Presidência do Senado

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

MAIS NOTÍCIAS SOBRE: