Paim comemora primeiros passos para desvendar mecanismo genético do autismo

Da Redação e Da Rádio Senado | 25/11/2014, 16h50 - ATUALIZADO EM 25/11/2014, 17h26

O senador Paulo Paim (PT-RS) comemorou a notícia de que pesquisadores da Universidade de São Paulo deram importantes passos para desvendar o mecanismo genético do autismo e posterior tratamento para esse distúrbio caracterizado pela dificuldade de interação social.

O material utilizado pelos cientistas foi um dente de leite extraído de uma criança autista. A partir do aproveitamento desse tecido vivo, foi identificada uma mutação genética que intrigou os biólogos como fator de propensão ao autismo.

Também foram apresentadas possíveis drogas para tratamento. Mas os biólogos acreditam que as drogas não seriam indicadas a todos os pacientes, mas somente aos portadores de um determinado gene.

Paulo Paim lembrou que os estudos foram feitos por biólogos brasileiros em laboratório da Universidade da Califórnia e da Universidade de Yale, nos Estados Unidos. O senador saudou os resultados da pesquisa, lembrando que o autismo é mais comum do que se pensa:

— Muitas pessoas acreditam que o autismo é uma doença rara, mas, segundo a ONU, sua incidência é mais comum do que a soma dos casos de Aids, câncer e diabetes juntos. No Brasil, estima-se que tenhamos dois milhões de autistas, mais da metade ainda sem diagnóstico — disse o senador.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

MAIS NOTÍCIAS SOBRE:
Autismo Senador Paulo Paim