Para Sarney, retirar menção a Deus em notas de dinheiro é 'falta do que fazer'

Marilia Coêlho | 13/11/2012, 10h40

O presidente do Senado, José Sarney, criticou nesta terça-feira (13) a ação da Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão de São Paulo que pretende retirar das notas de um real a frase “Deus seja louvado”. O presidente do Senado considerou o ato “uma falta do que fazer”.

- Eu acho que é uma falta do que fazer, porque, na realidade, precisamos cada vez mais ter a consciência da nossa gratidão a Deus por tudo o que ele fez por todos nós humanos e pela criação do universo. Nós não podemos jamais perder o dado espiritual. Eu tenho pena do homem que na face da terra não acredita em Deus – opinou Sarney.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

MAIS NOTÍCIAS SOBRE: