Eduardo Braga pede discussão de política nacional de segurança pública

Da Redação | 08/02/2012, 16h28


O senador Eduardo Braga (PMDB-AM) defendeu, nesta quarta-feira (8), uma saída pacífica para a greve dos policiais militares da Bahia. Ele também fez um apelo ao governo federal e ao Senado para que dêem início à discussão de uma nova política nacional de segurança pública.

Eduardo Braga apontou como fundamental a ampliação pela União dos investimentos no setor de segurança pública no Brasil. Em sua avaliação, atualmente a segurança pública brasileira enfrenta uma situação de colapso.

De acordo com o parlamentar, a segurança pública não é apenas representada pela presença ostensiva do policial civil ou militar, mas também pela disponibilidade de equipamentos, por técnicas especializadas de informação e pelo monitoramento e segurança das faixas de fronteiras.

Mesmo reconhecendo o direito à greve para os servidores públicos, Eduardo Braga se mostrou favorável à imposição de limites para certas categorias, tais como as de policiais, médicos e magistrados.

- Creio que é o momento de esta Casa discutir a questão do direito a greve. O direito legítimo da greve que deve ser normatizado, regularizado. Existem funções em que a greve precisa ser sob condições. Imagine o que significa uma greve na magistratura. Imagine o que significa uma greve no sistema de urgência e emergência dos hospitais - disse.

Refugiados haitianos 

Eduardo Braga também chamou a atenção para a necessidade de se definir com urgência medidas para resolver a situação dos refugiados haitianos que chegaram ao Brasil. Em sua opinião, a solução para o problema passa pela formulação de uma política clara que permita a integração dessas pessoas à sociedade brasileira.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

MAIS NOTÍCIAS SOBRE: