Porte de armas de uso restrito pode passar a ser crime hediondo

27/09/2017, 21h34 - ATUALIZADO EM 27/09/2017, 21h36

O Senado está prestes a concluir a votação da proposta que torna crime hediondo o porte de armas de uso restrito, como fuzis, metralhadoras e pistolas (SCD 6/2017). O projeto teve origem no Senado e foi enviado à Câmara dos Deputados em 2015. Agora, voltou com modificações, que foram rejeitadas pelo relator, senador Eduardo Lopes (PRB-RJ). Ele explicou que a proposta original é mais ampla, e que as mudanças feitas pelos deputados poderiam restringir a ação de combate ao crime organizado. Lopes lembrou que as armas de uso restrito são todas aquelas que só podem ser utilizadas pelas Forças Armadas, por algumas instituições de segurança e pessoas habilitadas e autorizadas pelo Exército. Mais detalhes na reportagem de Roberto Fragoso, da Rádio Senado.



Opções: Download