Armando Monteiro pede união dos pernambucanos pela Hemobrás

Da Redação | 10/08/2017, 14h16 - ATUALIZADO EM 10/08/2017, 15h39

O líder do PTB, senador Armando Monteiro (PE), pediu nesta quinta-feira (10) a união de Pernambuco em defesa da conclusão das obras do complexo industrial da Hemobrás, em Goiana, na Zona da Mata Norte do estado. Armando conclamou senadores, deputados, ministros e o governo pernambucano a se opor à proposta do ministro da Saúde, Ricardo Barros, de transferir para seu estado, o Paraná, a fabricação de derivados de sangue e produtos de biotecnologia.

Segundo Armando, a proposta do ministro retiraria de Goiana a possibilidade de produzir o Fator VIII recombinante, medicamento de alta tecnologia que ajuda a controlar hemorragias. O senador estimou que esse produto representa quase metade de um mercado total de hemoderivados avaliado em R$ 1,5 bilhão.

– A planta de Goiana não teria condições de produzir o produto de maior valor agregado e mais alta densidade tecnológica. Isso corresponderia a um forte comprometimento da viabilidade futura da planta da Hemobrás – disse o líder do PTB.

O senador pernambucano acrescentou que já existe uma PDP (Parceria para Desenvolvimento Produtivo) entre a Hemobrás e o laboratório multinacional Shire para a produção do Fator VIII. O rompimento do contrato, em sua opinião, traria um risco para a reputação do Brasil.

Frente parlamentar

Em aparte, o senador Humberto Costa (PT-PE), que foi ministro da Saúde na época em que se decidiu construir a Hemobrás para atender a demanda de hemoderivados do governo, lembrou que na próxima terça-feira (15) será lançada uma frente parlamentar suprapartidária, em defesa da Hemobrás em Pernambuco.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Senado Agora
13h35 Funrural: Aprovado o PRS 13/2017, que suspende a execução de dispositivos da lei que regulamenta a cobrança do Fundo de Assistência ao Trabalhador Rural (Funrural).
13h09 Violência doméstica: Aprovada emenda ao PLC 7/2016, para alterar, no projeto, a expressão “mulher em situação de violência doméstica” por “vítima de violência doméstica”. O PLC traz inovações à Lei Maria da Penha e vai ao Plenário com urgência
12h48 FPM: aprovada na CCJ a PEC 120/2015, que flexibiliza a retenção de receitas tributárias que compõem o Fundo de Participação dos Municípios (FPM). A matéria segue para o Plenário.
Ver todas ›