Comissão Mista aprova relatório da MP que muda Parque do Jamanxim (PA)

Da Redação | 12/04/2017, 17h19 - ATUALIZADO EM 12/04/2017, 19h54

A comissão mista que analisa a Medida Provisória (MPV) 758/2016, que originalmente altera os limites atuais do Parque Nacional do Jamanxim e da Área de Proteção Ambiental do Tapajós, no Pará, aprovou nesta quarta-feira (12) o relatório do deputado José Reinaldo (PSB-MA).

O relatório inclui uma emenda, a de nº 5, a pedido do senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA), criando a Área de Proteção Ambiental (APA) da Carapuça, no município de Itaiutuba, estado do Pará, no corredor formado ao longo da futura ferrovia Ferrogrão e BR-163, entre Sinop, no norte de Mato Grosso, a Miritituba, no Pará, à margem direita do Rio Tapajós.

O senador Paulo Rocha (PT-PA) expressou seu desagrado à forma como o governo está realizando as alterações dos limites do Parque Nacional do Jamanxim e lembrou que o assunto vinha sendo examinado há mais de dez anos pelas lideranças locais.

- Quando nós estávamos conduzindo a negociação de um jeito a MP veio de outro. A MP não é o melhor instrumento, quero deixar isso bem claro - disse o senador, durante a discussão da matéria.

Os membros da comissão concordaram em deixar que a discussão da emenda nº 5 seja feita nos Plenários das duas Casas do Congresso, Câmara e Senado.

Atividades mineradoras

As alterações nos limites atuais do Parque Nacional do Jamanxim e da Área de Proteção Ambiental do Tapajós, no Pará, incluídas da MP 758 ocorrem devido à construção na região da Estrada de Ferro 170, também chamada de Ferrogrão. A medida estabelece que áreas excluídas que não forem efetivamente utilizadas, após a instalação da ferrovia, serão reintegradas ao Parque do Jamanxim. Também declara de utilidade pública, para fins de desapropriação, os imóveis rurais privados existentes no parque.

O relator da MP, deputado José Reinaldo leu seu relatório na terça-feira (11) em reunião da comissão mista. Um pedido de vista coletivo, no entanto, adiou a votação e, por acordo, a reunião foi suspensa por 24 horas. O relator introduziu mudanças no sentido de permitir a continuidade de atividades mineradoras, anteriores à criação de reservas ambientais com a justificativa de que “ali há investimentos muito grandes que não podem ser desconhecidos”.

Outra emenda, defendida pelo relator, mantém a atividade dos pequenos produtores rurais nos locais onde estão. O relatório inclui na MP 758 o município de Trairão, no oeste do Pará. O argumento do deputado José Reinaldo é que o município, que tem uma economia tipicamente rural, foi prejudicado pela criação de unidades de conservação em 2006. Assim, o relatório promove ajustes nos limites da Floresta Nacional de Itaituba II e do Trairão e cria as áreas de proteção ambiental (APAs) Rio Branco e Trairão na região.

A emenda de nº 5, incluída de última hora, a pedido do senador Flexa Ribeiro, cria a Área de Proteção Ambiental da Carapuça, no Município Itaituba, Pará, unidade de conservação de uso sustentável com o objetivo de proteger os mananciais, regular o uso dos recursos hídricos e ordenar e regularizar o processo de ocupação na região, garantindo o uso racional dos recursos naturais, excluindo este perímetro do Parque Nacional do Jamanxim de que trata o parágrafo 2º do artigo 2º do Decreto de 13 de fevereiro de 2006.

Em suas justificativas, o deputado Francisco Chapadinha (PTN-PA), autor da emenda, afirma que “a criação da Área de Proteção Ambiental (APA) da Carapuça, concilia a continuidade das atividades produtivas com a preservação ambiental, sendo uma forma justa social e economicamente viável de promover o tão almejado desenvolvimento sustentável". Ele acrescenta que "há que se ressaltar que o governo está levando uma grande logística em estradas pavimentadas, ferrovias, energia, transporte e portos que irão passar exatamente nessas áreas ou muito próximas a elas". Para o deputado, "se [a MP] permanecer como está, lamentavelmente, toda essa infraestrutura será aproveitada apenas e tão somente por outros estados da federação, sendo que a região que estará mais próxima dessa infraestrutura estará impedida de produzir, contrariando todos os princípios econômicos mais elementares”.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Senado Agora
19h59 ANA: Plenário aprova com 58 votos favoráveis, 7 contrários e uma abstenção, a nomeação de Ricardo Medeiros de Andrade para diretor da Agência Nacional de Águas (ANA).
18h24 ANA: Senadores apreciam neste momento a indicação do engenheiro Ricardo Medeiros de Andrade para a direção da Agência Nacional de Águas (ANA).
18h23 Belize: Com 54 votos favoráveis, 2 contrários e uma abstenção, foi aprovada a nomeação do diplomata Luciano Helmold Macieira como embaixador brasileiro em Belize.
Ver todas ›