Pandemia

Senadores criticam veto à prioridade para mulher no auxílio emergencial

02:37Senadores criticam veto à prioridade para mulher no auxílio emergencial

Transcrição LOC: SENADORES CRITICAM O VETO DO PRESIDENTE BOLSONARO À PRIORIDADE DO PAGAMENTO DO AUXÍLIO EMERGENCIAL À MULHER CHEFE DE FAMÍLIA. LOC: E DISSERAM QUE VÃO TRABALHAR PELA DERRUBADA DO VETO. REPORTAGEM DE IARA FARIAS BORGES. TÉC: Aprovado pelo Senado no início de julho, o projeto de lei foi vetado integralmente pelo presidente Jair Bolsonaro. A proposta garantia prioridade da mulher chefe de família no recebimento do auxílio emergencial em dobro. O presidente Bolsonaro argumentou que não há previsão orçamentária para esse pagamento e nem ferramentas capazes de se verificar a veracidade das informações autodeclaradas. Para o senador Humberto Costa, do PT de Pernambuco, esse argumento é inconsistente, pois os recursos do auxílio não precisam respeitar as regras de equilíbrio fiscal. (Humberto Costa): “Portanto, esse não é um argumento válido. E é por essa razão que todos nós vamos trabalhar para que o Congresso Nacional, o mais rapidamente, derrube este veto que foi aposto pelo presidente da República”. (Rep): Mais da metade das famílias brasileiras são chefiadas por mulheres em situação de pobreza, disse a senadora Rose de Freitas, do Podemos do Espírito Santo, que relatou o projeto no Senado. Ela considerou o veto um “equívoco”. (Rose de Freitas): “A mãe que precisa do auxílio do Estado, normalmente, ela é provedora, chefe de família, é cuidadora, é zelosa, é a que está ali dando um teto para seus filhos, abrigando, cuidando. Portanto, era importante que essa mulher seja olhada de maneira diferente. E ao vetar, o presidente comete um enorme equívoco. Não está atualizado com a realidade da mulher no nosso país”. (Rep): É da mesma opinião a senadora Zenaide Maia, do Pros do Rio Grande do Norte. (Zenaide Maia): “Ao vetar o projeto, o governo, mais uma vez, demonstra insensibilidade com as batalhas diárias das mulheres. E também não pensa nas crianças, pois de acordo com o IBGE, 80% dos filhos têm uma mulher como primeira responsável. Vamos lutar para derrubar este veto”. (Rep): Também o líder do PDT, senador Weverton, do Maranhão, quer a derrubada do veto. (Weverton): “É justiça a essas verdadeiras guerreiras, heroínas do povo brasileiro, que são as mulheres chefes de família. Elas precisam mais do que nunca da mão do Estado, a ajuda do Estado brasileiro, neste momento difícil que o Brasil está vivendo, debaixo desta pandemia. O PDT vai encaminhar pela derrubada do veto”. (Rep): O projeto é de autoria da deputada Fernanda Melchionna, do PSOL do Rio Grande do Sul. Da Rádio Senado, Iara Farias Borges. PL 2.508/2020

Senadores criticam o veto do presidente Jair Bolsonaro ao projeto (PL 2.508/2020), que dá prioridade no auxílio emergencial à mulher chefe de família. O presidente argumentou não haver previsão orçamentária para o pagamento e nem ferramentas capazes de se verificar a veracidade das informações autodeclaradas. Para o senador Humberto Costa, do PT de Pernambuco, esse argumento é inválido, pois os recursos do auxílio não precisam respeitar as regras de equilíbrio fiscal. As senadoras Rose de Freitas (Podemos-ES), relatora da proposta no Senado, e Zenaide Maia (Pros-RN) disseram que a proposta beneficia as crianças. O líder do PDT, senador Weverton (MA), adiantou que o partido vai trabalhar pela derrubada do veto. Reportagem, Iara Farias Borges.

TÓPICOS:
Auxílio emergencial  Bolsonaro  Congresso Nacional  Espírito Santo  Família  IBGE  Justiça  Maranhão  pandemia  PDT  Pernambuco  Pobreza  Podemos  PROS  PSOL  PT  Rio Grande do Norte  Rio Grande do Sul  Senador Humberto Costa  Senadora Rose de Freitas  Senadora Zenaide Maia 

Senado Federal - Praça dos Três Poderes - Brasília DF - CEP 70165-900 | Telefone: 0800 61 22 11
Ao vivo