Audiência pública

Número de feminicídios aponta para epidemia de violência contra a mulher

02:51Número de feminicídios aponta para epidemia de violência contra a mulher

Transcrição LOC: O COMBATE À VIOLÊNCIA CONTRAS AS MULHERES É UMA QUESTÃO DE SEGURANÇA PÚBLICA E DE EDUCAÇÃO. LOC: O ASSUNTO FOI DISCUTIDO NA COMISSÃO DE DIREITOS HUMANOS DO SENADO. AS INFORMAÇÕES COM O REPÓRTER RODRIGO RESENDE: (Repórter) Selma Maria Frota Carmona, Presidente da Comissão de Combate à Violência Doméstica e Familiar da OAB/DF, destacou que a reação à violência contra as mulheres deve ser feita em diversos setores, com destaque para a atenção ao tema na educação básica: Selma 1 – 15” – E eu só vejo uma forma, somente uma, é com relação à educação. E com relação à educação as nossas crianças. Nós temos que entender que aquele menino, aluno, do ensino fundamental tem que respeitar a coleguinha (Repórter) O senador Marcos Rogério, do Democratas de Rondônia, afirmou que uma boa formação sobre o tema na primeira infância é extremamente importante: (Marcos Rogério) Esse problema da violência contra a mulher, e não só a violência contra mulher, a ausência de uma cultura de respeito à mulher respeito no ambiente de trabalho, respeito nas promoções, respeito no acesso àquilo que a lei já garante efetivado na prática, isso passa por essa compreensão de que é preciso mudar começando do início, olhando na primeira infância (Repórter) A pedagoga Abigail Pereira ressaltou que é necessária a construção de mais casas-abrigo para mulheres violentadas em todo o país. Para Abigail, o Brasil já enfrenta uma verdadeira epidemia em relação às agressões às mulheres: (Abigail Pereira) Hoje nós somos o quinto país no mundo com maior número de feminicídio nós estamos vivendo essa situação grave gravíssima da epidemia do coronavírus que está mudando inclusive as nossas relações as nossas formas até de nos cumprimentar mas o feminicídio é uma epidemia também, gente é uma epidemia que exige respostas imediatas tá virando já uma endemia tal a gravidade da situação. (Repórter) A representante do Ministério dos Direitos Humanos, Geraldini Grace, afirmou que existem 134 casas-abrigo no país e que, embora reconheça a importância desses espaços, a organização desse tipo de estrutura enfrenta problemas: (Geraldini Grace) As casas-abrigo elas geram alguns problemas para nós porque elas são sigilosas. E pelo fato de serem sigilosas, o endereço precisa estar sempre mudando, isso dificulta a questão da emenda parlamentar também, porque só se fosse uma emenda de custeio porque é um aluguel e fica muito vinculado a questão Municipal ou Estadual. Isso é uma preocupação muito forte porque eu considero a casa-abrigo um equipamento indispensável (Repórter) Dados de pesquisa feita pelo DataSenado em dezembro de 2019 mostram que 60% das 2.400 entrevistadas conhecem alguma mulher que já sofreu algum tipo de violência doméstica ou familiar. Para denunciar qualquer tipo de violência contra a mulher, você pode ligar para o número 180. A denúncia é recebida de forma anônima.

Debatedoras alertam, na Comissão de Direitos Humanos do Senado (CDH), que os números de feminicídios no Brasil apontam para uma verdadeira epidemia de violência contra as mulheres. Mais informações na reportagem de Rodrigo Resende, da Rádio Senado

TÓPICOS:
Cultura  DataSenado  Direitos Humanos  Educação  Feminicídio  Infância  OAB  Rondônia  Segurança  Segurança Pública  Senador Marcos Rogério  Trabalho  Violência  Violência Contra a Mulher  Violência Doméstica e Familiar  CDH 

Senado Federal - Praça dos Três Poderes - Brasília DF - CEP 70165-900 | Telefone: 0800 61 22 11
Ao vivo