Pacheco destaca prontidão do Congresso Nacional em relação ao governo de transição — Rádio Senado
Eleições 2022

Pacheco destaca prontidão do Congresso Nacional em relação ao governo de transição

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, ressaltou a disposição do Congresso Nacional de contribuir com o governo de transição votando projetos prioritários, mas com independência. Ele afirmou que caberá à equipe do novo governo definir as fontes para o cumprimento de promessas de campanha, a exemplo do Auxílio Brasil de R$ 600.

31/10/2022, 14h33 - ATUALIZADO EM 31/10/2022, 14h40
Duração de áudio: 02:08
Pedro Gontijo

Transcrição
PRESIDENTE DO SENADO DIZ QUE O CONGRESSO NACIONAL ESTÁ PRONTO PARA VOTAR PROJETOS PRIORITÁRIOS DO NOVO GOVERNO. RODRIGO PACHECO DECLAROU QUE CABERÁ A LULA DECIDIR COMO INCLUIR NO ORÇAMENTO O AUXÍLIO BRASIL DE SEISCENTOS REAIS E REAJUSTE DO SALÁRIO MÍNIMO. REPÓRTER HÉRICA CHRISTIAN Concluído o segundo turno das eleições, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, declarou que o Congresso Nacional está a postos para contribuir com o processo de transição. Ele afirmou que definirá nos próximos dias a pauta com os líderes partidários, que deverão incluir na lista eventuais projetos prioritários do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva. Encontrará no Congresso Nacional uma Casa pronta para que os importantes projetos sejam apreciados, as Reformas propostas sejam analisadas sempre com bastante critério juízo crítico, independência, mas com espírito que sempre tivemos inclusive com atual governo de colaboração naquilo que verdadeiramente interessa ao Brasil. Rodrigo Pacheco afirmou que o relator do Orçamento Geral da União de 2023, senador Marcelo Castro, do MDB do Piauí, também vai conversar com o presidente eleito para já atender às demandas da futura gestão. O presidente do Senado, no entanto, esclareceu que caberá à equipe do presidente eleito indicar os recursos para bancar entre outras promessas de campanha o Auxílio Brasil de R$ 600, o reajuste real do salário mínimo e a retomada do programa Farmácia Popular. Isso é um trabalho que a transição terá que fazer, que é um trabalho realmente delicado e difícil de se compatibilizar tudo quanto foi comprometido com as propostas de campanha com a lei atual e o regramento constitucional atual do teto de gastos públicos. Naturalmente o Senado estará à disposição para sentar à mesa e dialogar sobre alternativas que possam ser tomadas desde já para viabilizar temas que são importantes de fato, que é o auxílio Brasil no valor de R$ 600. Rodrigo Pacheco citou ainda como decisões a serem tomadas pelo governo eleito a devolução de recursos para as áreas da cultura e ciência e tecnologia após cortes no Orçamento deste ano. Da Rádio Senado, Hérica Christian

Ao Vivo

Não é usuário? Cadastre-se.

Ao vivo
00:0000:00