Observadores internacionais acompanham segundo turno das eleições brasileiras — Rádio Senado
Eleições 2022

Observadores internacionais acompanham segundo turno das eleições brasileiras

Organização dos Estados Americanos (OEA) e Rede dos Órgãos Jurisdicionais e de Administração Eleitoral da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (Roaje-CPLP) estão entre instituições credenciadas junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que continuam no Brasil para acompanhar o segundo turno das eleições.

27/10/2022, 17h28 - ATUALIZADO EM 27/10/2022, 19h16
Duração de áudio: 02:03
Foto: Alejandro Zambrana/Secom/TSE

Transcrição
OBSERVADORES INTERNACIONAIS CONTINUAM NO PAÍS PARA ACOMPANHAR O SEGUNDO TURNO DAS ELEIÇÕES DESTE ANO. NO INÍCIO DO MÊS, ELES FORAM RECEBIDOS NO SENADO. REPÓRTER JANAÍNA ARAÚJO. Sete instituições internacionais estão credenciadas junto ao Tribunal Superior Eleitoral, o TSE, para acompanhar o segundo turno das eleições, que acontece no próximo domingo, dia 30. Entre elas estão a Organização dos Estados Americanos, a OEA, o Parlamento do Mercosul e a Rede dos Órgãos Jurisdicionais e de Administração Eleitoral da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa. Chamadas de Missões de Observação Eleitoral Internacional, todas as instituições participaram do primeiro turno, quando os observadores também foram recebidos no Senado. Na antevéspera do pleito, o presidente da Casa, Rodrigo Pacheco, ressaltou o objetivo da presença dos estrangeiros que acompanham a organização, o planejamento e a execução do processo eleitoral brasileiro deste ano. PACHECO Esta programação pretende demonstrar uma visão ampla do processo eleitoral do Brasil bem como fortalecer a imagem da democracia brasileira. Temos nesta comitiva autoridades eleitorais de muitos países e grandes especialistas. Essa presença tão expressiva demonstra o interesse internacional no nosso sistema eleitoral, particularmente pela utilização, com inegável sucesso, de urnas eletrônicas já há 25 anos.  Segundo o TSE, as Missões de Observação Eleitoral Internacional são feitas por organizações regionais e internacionais, transnacionais, não governamentais, governos estrangeiros e instituições de ensino estrangeiras, por meio de missão diplomática ou por personalidades de reconhecida experiência e prestígio internacional. As instituições assinam acordos com o tribunal que garantem aos observadores pleno acesso às informações e às instalações da Justiça Eleitoral, inclusive, aos locais de votação. Da Rádio Senado, Janaína Araújo.

Ao Vivo

Não é usuário? Cadastre-se.

Ao vivo
00:0000:00