CI vai debater aproveitamento de poços para armazenamento dióxido de carbono — Rádio Senado
Meio ambiente

CI vai debater aproveitamento de poços para armazenamento dióxido de carbono

Retirar CO2 da atmosfera e armazenar em poços de petróleo que não deram em nada ou já estão esgotados. E talvez no futuro vender o dióxido de carbono para alguma forma de aproveitamento que vier a ser inventada. Esse é o objetivo de projeto de lei (PL 1425/2022) do senador Jean Paul Prates (PT-RN) que será debatido em audiência pública na Comissão de Infraestrutura (REQ 31/2022 – CI).

23/08/2022, 12h48 - ATUALIZADO EM 23/08/2022, 12h49
Duração de áudio: 01:18
Getty Images/iStockphoto/direitos reservados

Transcrição
RETIRAR GÁS CARBÔNICO DA ATMOSFERA E ARMAZENAR EM POÇOS DE PETRÓLEO QUE NÃO DERAM EM NADA. E TALVEZ NO FUTURO VENDER O DIÓXIDO DE CARBONO PARA ALGUMA FORMA DE APROVEITAMENTO QUE VIER A SER INVENTADA. ESSE É O OBJETIVO DE PROJETO DE LEI QUE SERÁ DEBATIDO EM AUDIÊNCIA PÚBLICA NA COMISSÃO DE INFRAESTRUTURA. REPÓRTER BRUNO LOURENÇO: O autor do projeto de lei, senador Jean Paul Prates, do PT do Rio Grande do Norte, sugere regulamentar a exploração e produção de petróleo ao contrário. Os poços que não produziram óleo ou que já foram esgotados seriam aproveitados para armazenar o dióxido de carbono. O CO2 é um dos gases que aumentam o efeito estufa e empresas e países têm metas para reduzir essas emissões ou de neutralizá-las. Jean Paul Prates, que já foi consultor na área de energia, diz que é uma nova oportunidade que se abre para o País. E nós tivemos o cuidado, na autoria desse projeto, de prever uma eventual futura utilização desse CO2, porque hoje é para nos livrarmos dele, mas, depois, não se sabe o que se pode inventar e já se está inventando uma forma de se utilizar isso. Então, o camarada vai ser remunerado para retirar isso da natureza, da atmosfera, levar para um reservatório de petróleo que não formou petróleo ou que já foi usado, foi esvaziado e, a partir disso, estocado ali, um dia utilizá-lo. A audiência pública, ainda sem data marcada, deverá contar com representantes do Ministério de Minas e Energia, do Instituto Brasileiro de Petróleo e Gás, da União Nacional do Etanol do Milho e pesquisadores do tema. Da Rádio Senado, Bruno Lourenço.

Ao Vivo

Não é usuário? Cadastre-se.

Ao vivo
00:0000:00