Quatro candidatos disputam a presidência do Senado em 2021 — Rádio Senado
Eleição da Mesa

Quatro candidatos disputam a presidência do Senado em 2021

Quatro senadores vão disputar a presidência da Casa e consequentemente do Congresso nas próximas eleições. O mandato irá até fevereiro de 2023. Os senadores que vão concorrer ao cargo são: Simone Tebet (MDB-MS), Rodrigo Pacheco (Democratas-MG), Jorge Kajuru, (Cidadania-GO) e  Major Olímpio, (PSL-SP). As informações com Rodrigo Resende, da Rádio Senado.

20/01/2021, 12h51 - ATUALIZADO EM 20/01/2021, 12h51
Duração de áudio: 01:22
Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

Transcrição
LOC: SIMONE TEBET, RODRIGO PACHECO, JORGE KAJURU E MAJOR OLÍMPIO, VÃO DISPUTAR A PRESIDÊNCIA DO SENADO. LOC: A DATA DA ELEIÇÃO AINDA SERÁ DEFINIDA E O VENCEDOR IRÁ COMANDAR A CASA E O CONGRESSO ATÉ FEVEREIRO DE 2023. REPÓRTER RODRIGO RESENDE (Repórter) Quatro senadores vão disputar a presidência da Casa e consequentemente do Congresso nas próximas eleições. O vencedor irá comandar o Senado até fevereiro de 2023. Os senadores que vão concorrer ao cargo são: Simone Tebet, do MDB de Mato Grosso do Sul; Rodrigo Pacheco, do Democratas de Minas Gerais; Jorge Kajuru, do Cidadania de Goiás e Major Olímpio, do PSL de São Paulo. Kajuru afirmou que sua candidatura será para marcar posição, mas deve apoiar Simone Tebet. Major Olímpio disse em nota que disputa “a eleição para presidente do Senado com a mesma sensação do time que entra em campo sabendo que o adversário tem vantagens e tem o juiz como seu parceiro. Rodrigo Pacheco, ao lançar a candidatura, destacou "ter como foco imediato da atuação legislativa do Senado Federal, em virtude da pandemia e de seus graves reflexos, o trinômio: saúde pública, crescimento econômico e desenvolvimento social.” Já Simone Tebet defendeu uma independência harmônica entre os poderes a favor do Brasil, que segundo ela, precisa mais do que nunca da força do Senado Federal. A votação para a presidência do Senado é secreta e acontecerá de forma presencial. Os votos dos 81 senadores são dados em cédulas de papel, colocadas individualmente em um envelope que logo depois é depositado em uma urna. Da Rádio Senado, Rodrigo Resende.

Ao vivo
00:0000:00