Governo anuncia possibilidade de retomar auxílio emergencial com nova onda de covid-19 — Rádio Senado
Pandemia

Governo anuncia possibilidade de retomar auxílio emergencial com nova onda de covid-19

O governo federal anunciou a possibilidade de retomar o auxílio emergencial se a nova onda de contágio da covid-19 chegar ao Brasil. Oposição no Senado concorda com a medida e defende que, diante da situação econômica e social, o benefício deve continuar sendo repassado independentemente de uma nova onda da doença. As informações com a repórter Raquel Teixeira, da Rádio Senado.

13/11/2020, 17h17 - ATUALIZADO EM 13/11/2020, 17h21
Duração de áudio: 01:55
celular aberto no aplicativo do Auxílio Emergencial.
Foto: Foto: Agência Brasil / Arquivo

Transcrição
LOC: GOVERNO FEDERAL ANUNCIA POSSIBILIDADE DE RETOMAR AUXÍLIO EMERGENCIAL SE NOVA ONDA DE CONTÁGIO DA COVID-19 CHEGAR AO BRASIL. LOC: SENADORES CONCORDAM COM A MEDIDA E ESPERAM LIGEIRA RECUPERAÇÃO DA ECONOMIA COM A MANUTENÇÃO DOS REPASSES. REPÓRTER RAQUEL TEIXEIRA. TÉC: A expectativa do ministro da Economia, Paulo Guedes, é de que seja decretado estado de calamidade pública novamente em 2021, se a doença voltar a avançar no Brasil como acontece em outros países. O senador Esperidião Amin, do PP de Santa Catarina, parabenizou o governo pela iniciativa. (ESPERIDIÃO) Eu quero deixar consignado meu voto de louvor ao ministro Paulo Guedes porque a sua declaração de que, se houver segunda onda, decreto de calamidade e auxílio emergencial serão reeditados traz segurança política e social para o País. Rep: Já o senador Wellington Fagundes, do PL de Mato Grosso, afirmou que é preciso fiscalizar melhor a distribuição dos recursos. (WELLINGTON) Hoje, no Brasil, nós vivemos uma situação, realmente, de falta de compreensão e falta de humanismo de muitos, porque, quando alguém que não precisa desse recurso toma o recurso, está o tirando de alguém que precisa. E esses R$600 são fundamentais para a sobrevivência de muitos. Realmente o País tem que fazer tudo para melhorar essa fiscalização. Rep: E o senador Humberto Costa, do PT de Pernambuco, defendeu que o benefício deve continuar sendo repassado mesmo que não haja uma nova onda de contágios pela doença. (HUMBERTO) Nós estamos agora enfrentando a inflação, especialmente no preços dos alimentos, estamos enfrentando o desemprego e a forme. O auxílio emergencial é algo extremamente necessário para minimizar esse sofrimento da população, portanto eu defendo que independentemente de termos ou não uma segunda onda que o governo garanta a continuidade do pagamento. Rep: O benefício foi aprovado pelo Congresso no início do ano e começou a ser pago no mês de maio para socorrer os trabalhadores afetados pela pandemia e ajudar a diminuir os prejuízos econômicos provocados pelo fechamento temporário do comércio e pelo isolamento social no país. Da Rádio Senado, Raquel Teixeira.

Ao vivo
00:0000:00