Paulo Guedes nega privatização do SUS — Rádio Senado
Audiência pública

Paulo Guedes nega privatização do SUS

A comissão mista (CN Covid19) criada para acompanhar os gastos federais relacionados ao novo coronavírus ouviu nesta quinta-feira (29) o ministro da economia, Paulo Guedes. Em resposta ao deputado Francisco Júnior (PSD-GO), Guedes negou qualquer tentativa de privatização do SUS. A reportagem é de Bruno Lourenço, da Rádio Senado.

29/10/2020, 13h09 - ATUALIZADO EM 29/10/2020, 13h12
Duração de áudio: 01:33
Foto: Isac Nóbrega/Presidência da República

Transcrição
LOC: EM AUDIÊNCIA NA COMISSÃO MISTA SOBRE AÇÕES RELACIONADAS AO NOVO CORONAVÍRUS, MINISTRO DA ECONOMIA NEGOU PRIVATIZAÇÃO DO SUS. LOC: PAULO GUEDES EXPLICOU QUE O DECRETO JÁ REVOGADO APENAS AUTORIZAVA UM ESTUDO SOBRE A PARTICIPAÇÃO DA INICIATIVA PRIVADA NA CONSTRUÇÃO DE POSTOS DE SAÚDE. REPÓRTER BRUNO LOURENÇO. (Repórter) O relator da comissão, deputado Francisco Júnior do PSD de Goiás, cobrou a explicação do ministro da Economia sobre o decreto que supostamente permitiria a privatização do Sistema Único de Saúde. (Francisco Júnior) Nós sabemos que o decreto já foi revogado. Mas gostaríamos de saber a visão, o ponto de vista do governo, de forma especial o aspecto econômico da edição desse decreto. (Repórter) Paulo Guedes explicou que o decreto era tão somente uma autorização para estudar a possibilidade de trazer o capital privado para a construção de unidades básicas de saúde. E que a privatização do SUS jamais esteve em discussão, até porque o fim do acesso universal e gratuito da saúde, no Brasil, teria que passar pelo Congresso Nacional. (Paulo Guedes) Não entrou na nossa consideração invadir a área da saúde pra privatizar. Jamais. Isso foi uma medida tomada de iniciativa da área de parceria público privada, PPI, funcionário público de carreira em Brasília há mais de dez anos, trabalhou com governo Temer, PT, totalmente insuspeita de qualquer, “tá alinhada à economia de mercado, quer transformar o Brasil”. Tem nada disso. Isso é essa guerra ideológica de narrativas que tanto prejudica o país. (Repórter) O ministro da Economia ainda afirmou que o Brasil é, provavelmente, o país do Ocidente que está retomando o crescimento econômico com mais velocidade.

Ao vivo
00:0000:00