Irajá propõe atendimento prioritário a doadores de sangue e de medula — Rádio Senado
Proposta

Irajá propõe atendimento prioritário a doadores de sangue e de medula

Um cidadão do Tocantins sugeriu e o senador Irajá (PSD – TO) acolheu a ideia de dar  atendimento prioritário em estabelecimentos públicos e privados a doadores de sangue e de medula óssea (PL 1855/2020) - como já acontece com idosos, gestantes e pessoas com deficiência. Ouça mais detalhes no áudio da repórter Iara Farias Borges.

20/04/2020, 12h51 - ATUALIZADO EM 20/04/2020, 13h49
Duração de áudio: 01:48
Stockphotos/direitos reservados

Transcrição
LOC: QUEM FIZER DOAÇÃO DE SANGUE OU DE MEDULA ÓSSEA TERÁ DIREITO A ATENDIMENTO PRIORITÁRIO EM FILAS DE BANCOS, HOSPITAIS E OUTROS ESTABELECIMENTOS. LOC: É O QUE PREVÊ UM PROJETO DE INICIATIVA POPULAR, QUE FOI ACOLHIDO PELO SENADOR IRAJÁ, DO PSD DO TOCANTINS. REPORTAGEM DE IARA FARIAS BORGES. (Repórter) A proposta visa incentivar a doação regular de sangue e de medula óssea e foi sugerida por Danilo Pereira Borges, morador de Gurupi, no Tocantins. A sugestão foi vencedora de uma seleção feita pelo Senado para estimular a participação popular e assinada pelo senador Irajá, do PSD do Tocantins. A proposta inclui na lei os doadores de sangue e de medula óssea entre as pessoas com direito a atendimento prioritário em repartições públicas, bancos, rodoviárias, hospitais, correios, entre outros estabelecimentos - como já acontece, por exemplo, com idosos, gestantes e pessoas com deficiência. Segundo informou o senador Irajá, em 2017, no Brasil, a cada mil habitantes, 16 pessoas eram doadoras de sangue – número que está dentro da recomendação da OMS, Organização Mundial da Saúde. Mas para o senador, é preciso incentivar a doação tanto para manter estável o nível dos estoques, como para aumentar as reservas. (Irajá) “Esses doadores de sangue e também de medula poderão ter acesso a esse atendimento prioritário. É um benefício simples, mas que vai valorizar todas as pessoas que doarem sangue e também medula óssea. E vão beneficiar milhões de brasileiros e brasileiras que dependem de sangue que são colhidos nos bancos de sangue no Brasil”. (Repórter) Segundo o projeto, para ter direito ao atendimento prioritário, o doador de sangue deve apresentar comprovante de doação, com validade de 120 dias. E o doador de medula óssea, mostrar a carteira de doador, que pode ser impressa ou digital. O senador Irajá agradeceu à sugestão do tocantinense e pediu aos cidadãos que enviem propostas e participem da elaboração de leis. PL 1.855/2020

Ao Vivo

Não é usuário? Cadastre-se.

Ao vivo
00:0000:00