Empresas que usarem energia solar podem receber recursos do FGTS — Rádio Senado
Proposta

Empresas que usarem energia solar podem receber recursos do FGTS

Parte dos recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) poderão ser destinados a empréstimos para empresas e instituições que adotarem energia solar como principal fonte do estabelecimento. É o que prevê projeto de lei (PLS 524/2018), de autoria da senadora Rose de Freitas (PODE-ES), em exame na Comissão de Meio Ambiente (CMA). Depois de passar na CMA, o projeto seguirá para a Comissão de Assuntos Sociais.

08/04/2019, 15h17 - ATUALIZADO EM 08/04/2019, 15h35
Duração de áudio: 01:16
Technician connecting solar panel to metal platform using electrical screwdriver on blue sky copy space background. Stand-alone solar system installation, efficiency and professionalism concept.
anatoliy_gleb/istockphoto

Transcrição
LOC: EMPRESAS E INSTITUIÇÕES QUE USAREM ENERGIA SOLAR PODERÃO RECEBER CRÉDITOS PROVENIENTES DO FGTS. LOC: É O QUE DETERMINA PROJETO DE LEI QUE ESTÁ EM ANÁLISE NA COMISSÃO DE MEIO AMBIENTE. REPORTAGEM DE IARA FARIAS BORGES. (Repórter) A proposta inicial da senadora Rose de Freitas, do Podemos do Espírito Santo, destinava um por cento dos recursos do FGTS, Fundo de Garantia do Tempo de Serviço, para operações de crédito a empresas que utilizarem a energia solar como principal fonte do estabelecimento. Mas o relator da matéria, senador Jaques Wagner, do PT da Bahia, estendeu o benefício a outras instituições, como escolas, hospitais e cooperativas. Wagner informou que o Brasil é referência em energias renováveis: quase 80% da matriz energética brasileira é de fonte limpa, quando a média mundial é de pouco mais de 22 por cento. Apesar disso, o senador destacou que existe margem para aprimorar a atuação brasileira na área energética. (Jaques Wagner) “Para evitar que a nossa matriz de energia elétrica perca a qualidade ambiental, é importante incentivar novas fontes de geração limpa. Mesmo quando você não a utiliza acaba sendo um retorno para essa entidade. Porque quando não está em utilização, você joga na rede e há, na verdade, um crédito e débito na conta que você tem a pagar”. (Repórter) Depois de analisada na Comissão de Meio Ambiente, a proposta ainda será examinada pela Comissão de Assuntos Sociais. PLS 524/2018

Ao Vivo

Não é usuário? Cadastre-se.

Ao vivo
00:0000:00