Senadores defendem reunificação do país e destacam papel do Congresso — Rádio Senado
Eleições 2018

Senadores defendem reunificação do país e destacam papel do Congresso

Concluído o segundo turno das eleições presidenciais, diversos senadores defenderam uma reunificação do País. Apesar do clima acirrado ao longo da campanha, eles declararam que o resultado deve ser respeitado. O senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), destacou que o Congresso Nacional terá um papel essencial neste momento. O senador Armando Monteiro (PTB-PE) lembrou que o Legislativo tem uma agenda para votar até o final do ano pelo bem do País.

29/10/2018, 17h32 - ATUALIZADO EM 29/10/2018, 17h43
Duração de áudio: 02:09

Transcrição
LOC: APÓS O RESULTADO DO SEGUNDO TURNO DAS ELEIÇÕES, SENADORES DEFENDEM RESPEITO AO RESULTADO DAS URNAS. LOC: ELES DESTACAM QUE O CONGRESSO NACIONAL TERÁ UM PAPEL IMPORTANTE NA TRANSIÇÃO DE GOVERNO. REPÓRTER HÉRICA CHRISTIAN. TÉC: Diante da definição do novo presidente da República, o consenso entre os senadores é que o resultado das urnas deve ser respeitado. Para eles, a partir de agora, o País deve ser reunificado. O senador Fernando Bezerra Coelho, do MDB de Pernambuco, não acredita que a polarização vivenciada ao longo da campanha possa comprometer as votações do Congresso Nacional. Até as proximidades do Natal, deputados e senadores deverão votar dezenas de medidas provisórias, o Orçamento Geral da União de 2019, além de projetos prioritários de Jair Bolsonaro. Na avaliação de Fernando Bezerra, o presidente eleito terá legitimidade para governar e o Congresso Nacional de tocar a agenda legislativa. (Bezerra): É evidente que após a escolha, temos que acatar o resultado da maioria da população brasileira, respeitar o resultado. O presidente eleito ganha legitimidade, ganha força política para poder dialogar com os demais Poderes. O Congresso Nacional está renovado e terá um papel importante para podermos deliberar, debater e votar a nova agenda, que o novo governo vai trazer para dentro do Congresso. REP: O senador Armando Monteiro, do PTB de Pernambuco, admite que o País acabou dividido, mas espera que a disputa tenha se encerrado no último domingo. O senador acredita que a agenda prioritária do presidente eleito deverá mobilizar o Congresso Nacional. (Monteiro) O Brasil, passada a eleição do domingo, o grande desafio é a gente pacificar o país. E essa pacificação se dará na medida em que possamos construir uma agenda convergente que dê conta dos imensos desafios que o Brasil tem pela frente. O primeiro deles é a retomada do crescimento porque sem ele nós não vamos poder produzir uma melhor distribuição dos benefícios do processo de desenvolvimento. (REP): Os aliados de Jair Bolsonaro deverão negociar com o presidente do Senado, Eunicio Oliveira, a votação de projetos de interesse do novo governo. Da Rádio Senado, Hérica Christian.

Ao Vivo

Não é usuário? Cadastre-se.

Ao vivo
00:0000:00