DF tem eleições com ruas mais limpas do que em pleitos anteriores — Rádio Senado
Eleições 2018

DF tem eleições com ruas mais limpas do que em pleitos anteriores

Apesar do tradicional derrame de santinhos na porta de alguns locais de votação, o cenário das eleições de 2018 no Distrito Federal é bem diferente dos anos anteriores, em 2010 e 2014. A eleição foi a mais limpa que a Capital Federal já viu desde a redemocratização do país, com pouca poluição visual e sonora e menos sujeira deixada pelos cabos eleitorais dos partidos políticos. Segundo especialistas e autoridades, as mudanças foram causadas pela legislação eleitoral mais rigorosa, com campanhas mais baratas e curtas. O juiz Pedro Yung-Tay, da Comissão de Fiscalização de Propaganda Eleitoral do Tribunal Regional Eleitoral do DF, explicou que o derrame de santinhos é crime, punido com multa e até prisão em flagrante.

07/10/2018, 15h41 - ATUALIZADO EM 07/10/2018, 15h48
Duração de áudio: 03:09
Antonio Cruz/Agência Brasil

Transcrição
LOC: APESAR DO TRADICIONAL DERRAME DOS SANTINHOS, O DISTRITO FEDERAL TEM ELEIÇÕES MAIS LIMPAS DO QUE NOS ANOS ANTERIORES. LOC: OS ELEITORES E JUÍZES ELEITORAIS CRITICAM OS CANDIDATOS SUJÕES. REPÓRTER GEORGE CARDIM. (Repórter) Apesar do tradicional derrame de santinhos na porta de alguns locais de votação, o cenário das eleições de 2018 no Distrito Federal é bem diferente dos anos anteriores, em 2010 e 2014. A eleição foi a mais limpa que a Capital já viu desde a redemocratização do país, com pouca poluição visual e sonora e menos sujeira deixada pelos cabos eleitorais dos partidos políticos. Nas últimas eleições, as áreas mais movimentadas dos bairros residenciais e comerciais, o entorno de escolas, as principais avenidas das cidades do DF e até a Esplanada dos Ministérios estavam tomadas com cartazes, muros pintados, cavaletes com fotos, bandeiras, panfletos e santinhos, além de alto-falantes e carros de som. O eleitor Max Nunes acordou cedo e foi o primeiro a votar no Centro Universitário de Brasília, o Uniceub, na Asa Norte e gostou das ruas limpas. (Max Nunes) “Exatamente, eu vim praticamente há 20 quilômetros daqui e a cidade está mais limpa. Ela está mais limpa e as pessoas estão mais conscientes, de que este momento é um momento importante para o país” (Repórter) Segundo especialistas e autoridades, as mudanças foram causadas pela legislação eleitoral mais rigorosa, com campanhas mais baratas e curtas. O juiz Pedro Yung-Tay, da Comissão de Fiscalização de Propaganda Eleitoral do Tribunal Regional Eleitoral do DF, explicou que o derrame de santinhos no dia do pleito é crime eleitoral, punido com multa e até prisão em flagrante. Yung-Tay também acredita que os eleitores não querem saber de candidatos sujões. (Pedro Yung-Tay) “Quando o eleitor ele verifica que um candidato está sujando a cidade, desrespeitando as regras eleitorais, ou jogando aquele monte de santinho ou panfleto no chão, causando às vezes até um dano ambiental ou um problema para alguém com dificuldade de locomoção. Pode provocar um acidente. Na verdade isto acaba gerando um efeito negativo para aquele candidato ou partido que adesiva um veículo sem a autorização do motorista” (Repórter) O cidadão que quiser denunciar um crime eleitoral, como propaganda ilegal e boca de urna, pode usar o aplicativo Pardal, disponível em ANDROID E IOS, para smartphones e tablets. O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios também divulgou um número de WhatsApp para receber mensagens com fotos, áudios e vídeos de supostas irregularidades. O contato é (61) 99291 5943.

Ao Vivo

Não é usuário? Cadastre-se.

Ao vivo
00:0000:00