Duas reportagens da Rádio Senado são finalistas do Prêmio de Comunicação da CNBB — Rádio Senado
Premiação

Duas reportagens da Rádio Senado são finalistas do Prêmio de Comunicação da CNBB

03/03/2017, 16h29 - ATUALIZADO EM 03/03/2017, 16h37
Duração de áudio: 02:13
Divulgação

Transcrição
LOC: DUAS REPORTAGENS DA RÁDIO SENADO SÃO FINALISTAS DO PRÊMIO DE COMUNICAÇÃO DA CONFERÊNCIA NACIONAL DOS BISPOS DO BRASIL, A CNBB. LOC: ESTA É A QUINQUAGÉSIMA EDIÇÃO DO PRÊMIO, QUE TAMBÉM RECONHECE O TRABALHO DE COMUNICADORES NAS CATEGORIAS TELEVISÃO, IMPRENSA ESCRITA E INTERNET. REPÓRTER THIAGO MELO. (Repórter) As reportagens “Prevenção ao suicídio. É preciso falar. É preciso salvar vidas” da jornalista Paula Groba e “Escalpelamento: dor e superação nos rios da Amazônia”, do jornalista Adriano Faria e do produtor Anderson Mendanha concorrem ao troféu “Microfone de Prata”. A história de Rosinete Serrão faz parte da reportagem sobre o escalpelamento. O acidente acontece quando os cabelos se enroscam nas partes móveis dos motores de pequenas embarcações, causando o arrancamento brusco do escalpo ou couro cabeludo. (Rosinete Serrão) Eu não podia ver nada. Eu não podia mais ver por causa da pele da testa, a perda da sobrancelha. Então arrebentou tudinho e essas peles desceram sobre meus olhos. (Repórter) O jornalista Adriano Faria destaca a importância da discussão sobre o assunto. (A. Faria, 16”) Existem campanhas de conscientização, mas infelizmente esse tipo de acidente ainda ocorre nos rios da Amazônia. Vítimas que sofrem marcas físicas e emocionais por toda a vida, muitas delas crianças. (Repórter) Já a reportagem “Prevenção ao suicídio. É preciso falar. É preciso salvar vidas” mostra que o tema ainda é um tabu. Gabriela Costa, de 21 anos, por exemplo, quase desistiu de pedir ajuda: (Gabriela Costa) Eu cheguei num ponto que eu continuei não querendo incomodar os outros, pedir ajuda, mas chegou um ponto que eu não conseguia. Então eu me deixei ser ajudada e isso foi crucial pra ter me ajudado a melhorar. (Repórter) Para a jornalista Paula Groba, a indicação ao prêmio é o reconhecimento da importância de se debater o suicídio: (Paula Groba) O grande problema na sociedade ainda hoje é que as pessoas resistem em falar em suicídio porque é um tema muito pesado. Estar entre os finalistas no prêmio CNBB num assunto, um tema que é tão relevante para a sociedade, mostra que as entidades religiosas também estão preocupadas com o tema suicídio. (Repórter) No dia 31 de março, a conferência vai gravar a premiação na cidade de Trindade, em Goiás. A cerimônia será transmitida durante a Assembleia Geral da CNBB, que acontece em 28 de abril, na cidade de Aparecida, em São Paulo.

Ao vivo
00:0000:00