Sarney crê em mínimo de R$ 545 e descarta dissidência no PMDB — Rádio Senado

Sarney crê em mínimo de R$ 545 e descarta dissidência no PMDB

LOC: O PRESIDENTE DO SENADO SE MANTÉM OTIMISTA COM A APROVAÇÃO DO SALÁRIO MÍNIMO DE QUINHENTOS E QUARENTA E CINCO REAIS.

LOC: JOSÉ SARNEY DESTACOU QUE O PMDB MOSTRARÁ A IMPORTÂNCIA DO PARTIDO NA PRIMEIRA VOTAÇÃO QUE TESTA A FIDELIDADE DA BASE ALIADA.

TÉC: A votação do salário mínimo de 545 reais é considerada o grande teste de fidelidade da base aliada da presidente Dilma Rousseff no Congresso Nacional. Apesar de o governo contar com a maioria dos votos na Câmara e no Senado, o reajuste do piso salarial costuma provocar dissidências, uma vez que o projeto é de grande apelo popular. Mas mesmo com o clima de disputa, o presidente do Senado, José Sarney, do PMDB do Amapá, está confiante na aprovação do salário mínimo proposto pela equipe econômica. Segundo ele, a posição do PMDB é de apoiar o projeto do governo. Sarney acredita que a maioria dos 79 deputados peemedebistas vai dizer sim ao salário mínimo do Palácio do Planalto. (Sarney) Acho que essa dissidência do PMDB ela não existe. A bancada da Câmara está consciente de que o partido deve se manter unido. E cada vez mais mostrar que ele é um ponto de estabilidade do governo. REP: Sarney destacou que a bancada está consciente de que o partido não apoia somente o governo, mas faz parte dele. Segundo o presidente do Senado, votar contra o acordo firmado entre o governo e as centrais sindicais é votar contra o vice-presidente da República, Michel Temer, que é do PMDB. (Sarney) Hoje não somente apoiamos o governo, como participamos do governo. O vice-presidente é nosso. Qualquer não participação do PMDB significará que estaremos contra o nosso próprio vice-presidente, que faz parte do governo. REP: Assim que o projeto do salário mínimo chegar ao Senado, o presidente José Sarney deverá convocar os líderes partidários para discutir se a proposta será votada diretamente em Plenário ou se passará pelas comissões permanentes.
16/02/2011, 00h05 - ATUALIZADO EM 16/02/2011, 00h05
Duração de áudio: 01:44
Ao Vivo

Não é usuário? Cadastre-se.

Ao vivo
00:0000:00