Estilo

Cargo e função

Use letra minúscula para cargos e funções: o senador, o deputado (para deputado federal), o deputado estadual ou distrital, o vereador, o prefeito de São Paulo, o governador da Bahia, consultor de orçamentos, consultor legislativo, o presidente do Senado, o presidente do Banco Central, o ministro do Esporte, a ministra-chefe da Casa Civil, o diretor de Recursos Hídricos, o consultor, o professor, a juíza, o papa, o frei, o cardeal. 

Observe que o nome da instituição e o da área que o ocupante do cargo representa ficam em letra maiúscula:

O coordenador de Combate à Desertificação do Ministério do Meio Ambiente, Francisco Campelo, frisou que a população precisa se adaptar às especificidades do clima nordestino.

 

A avaliação foi feita pelo gerente de Infraestrutura da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Wagner Ferreira Cardoso.

 

— Não é hora de parar com a faxina, como deseja a Presidente, porque, ao que tudo indica, ela nem chegou perto do grosso da sujeira —avaliou.


De maneira geral, o cargo deve vir antes do nome da pessoa. Só inverta a ordem por questões de clareza.

 

O secretário de Biodiversidade e Florestas do Ministério do Meio Ambiente, Roberto Brandão Cavalcanti, afirmou que as queimadas e incêndios florestais no Cerrado baixam a fertilidade do solo e devem ser controlados.

 

José Marcelino citou declarações de Diane Ravitch, ex-secretária-adjunta de Educação na administração do ex-presidente norte-americano George Bush, que adotou o sistema de accountability (responsabilização de professores e gestores pelo desempenho dos estudantes).

 

O falso positivo — no qual o teste do pezinho acaba indicando doenças inexistentes — é muito comum, segundo o professor Marcos José Burle de Aguiar, vice-diretor do Núcleo de Ações e Pesquisa em Apoio Diagnóstico da Universidade Federal de Minas Gerais.


Evite listar todos os convidados de uma audiência pública. Isso se justifica quando o cargo é importante, como o de ministro.

Na primeira referência, use o cargo e o nome (prenome e sobrenome) da pessoa. A partir da segunda referência, pode-se usar o nome simplificado. No caso de pessoas públicas conhecidas por apelidos, pode-se usar apenas o apelido a partir da segunda citação.

 

 

O diretor do Departamento de Revitalização de Bacias Hidrográficas do Ministério do Meio Ambiente, Francisco Campello, frisou que a população precisa se aliar às especificidades do clima nordestino.

 

Para Campello, é preciso traçar uma estratégia de sustentabilidade exclusiva para o semiárido a fim de garantir recursos suficientes para a segurança alimentar da população e dos animais.

 

 

Para senadores, pode-se fazer a primeira referência apenas pelo nome parlamentar. No entanto, o texto deve deixar claro o cargo do senador.

 

Alvaro Dias (PSDB-PR) ­sugeriu que a sabatina de Teori Zavascki, agendada para hoje, seja remarcada para a semana seguinte às eleições.

Para o senador, a rapidez tanto na indicação pela presidente Dilma Rousseff quanto no agendamento da sabatina desvaloriza a função que será exercida pelo magistrado no Supremo Tribunal Federal (STF) e diminui o papel do Senado.

 

No entanto, se a frase deixar dúvida quanto ao cargo ocupado pelo parlamentar, identifique-o como senador logo na primeira referência.

 

No exemplo abaixo, não fica claro se Eduardo Braga é senador ou deputado. Não deixe o leitor/ouvinte/telespectador em dúvida:

 

Eduardo Braga (PMDB-AM) anunciou ação conjunta do Senado Federal, da Câmara dos Deputados e do Ministério das Comunicações para definir novos critérios


O senador Eduardo Braga (PMDB-AM) anunciou ação conjunta do Senado Federal, da Câmara dos Deputados e do Ministério das Comunicações para definir novos critérios…


Use feminino nos cargos ocupados por mulheres: ministra-chefe, diretora-geral, procuradora-geral.
Para presidente, a Secom adota a mesma forma para masculino e feminino: o presidente do Banco Central, a presidente Dilma Rousseff.

O evento foi aberto pela primeira-vice-presidente da Casa, Marta Suplicy (PT-SP), ao lado da diretora-geral, Doris Peixoto, e da secretária-geral da Mesa, Claudia Lyra.


Use hífen na designação dos seguintes cargos:

  • formados pelo adjetivo “geral": diretor-geral, relator-geral, ouvidor-geral; procurador-geral, secretário-geral (use hífen também no nome de órgãos: Controladoria-Geral da União);
  • postos e gradações da diplomacia: primeiro-secretário, segundo-secretário;
  • postos da hierarquia militar: tenente-coronel, capitão-tenente. Atenção: nomes compostos com preposição ficam sem hífen: brigadeiro do ar, general de exército, general de brigada, tenente-brigadeiro do ar;
  • que denotam hierarquia dentro de uma empresa: diretor-presidente, diretor-gerente, diretor-secretário, diretor-adjunto, editor-chefe, editor-assistente, sócio-gerente, diretor-executivo.
  • formados por numerais: primeiro-ministro, primeira-dama, primeiro-secretário, inclusive os cargos da Mesa do Senado, da Câmara e do Congresso. Nesse caso, o algarismo arábico só deve ser usado como recurso para economizar espaço, por exemplo, no título.


A previsão foi feita em encontro ocorrido hoje, em Brasília, entre o diretor adjunto de Comunicação do Tribunal de Contas do Estado de Alagoas, Luiz Dantas, e o diretor da Secretaria de Comunicação do Senado Federal, Davi Emerich. (diretor-adjunto)

 

Na sequência, o 1º secretário do Congresso (primeiro-secretário do Congresso) lerá a mensagem do presidente da República.


O secretário-executivo do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, Luiz Antonio Elias, ressaltou a necessidade de se contextualizar a discussão do novo código.

 

Também participam do evento o primeiro vice-presidente, Jorge Viana (PT-AC), e o presidente da comissão organizadora, Paulo Davim (PV-RN). (primeiro-vice-presidente)


Não use hífen em: diretor financeiro, diretor comercial, assessor legislativo.

Para cargos e funções que só podem ser ocupados por uma pessoa, use o nome do ocupante do cargo entre vírgulas.

José Sarney nomeou relator substituto (ad hoc) o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR).

 

O projeto recebeu substitutivo do relator na CDH, Cyro Miranda (PSDB-GO), prevendo queos vendedores deverão informar aos consumidores sobre a possibilidade de receber equipamento...


Não use vírgula quando mais de uma pessoa puder ocupar o cargo.

Os trabalhos foram presididos pelo ministro do STJ Gilson Dipp. (Há mais de um ministro do Superior Tribunal de Justiça.)

 

Jorge Viana (PT-AC) contou ter se encontrado, há alguns dias, com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

 

O diretor da CUT João Caires confirmou o aumento do desemprego. (A CUT term mais de um diretor.)


Nesses casos, às vezes pode-se usar primeiro o nome e depois o cargo:

 

João Caires, diretor da CUT, confirmou o aumento do desemprego.

 

O aumento do desemprego foi confirmado por João Caires, diretor da CUT.


O deputado Laercio Oliveira (PR-SE), ex-presidente da Federação Nacional das Empresas de Serviços e Limpeza Ambiental, defendeu a terceirização plena, alegando que esse é um setor "que vem trabalhando de forma cada vez mais idônea e competente".

 

Não use a forma "o presidente José Sarney". Identifique a instituição:

 

O presidente José Sarney nomeou relator substituto (ad hoc) o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR).

 

O presidente do Senado, José Sarney, nomeou relator substituto (ad hoc) o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR).


Conteúdos relacionados