Coronavírus

Pagamento da segunda parcela do auxílio começa nesta segunda-feira

02:49Pagamento da segunda parcela do auxílio começa nesta segunda-feira

Transcrição LOC: A SEGUNDA PARCELA DO AUXÍLIO EMERGENCIAL DE 600 REAIS COMEÇOU A SER PAGA NESTA SEGUNDA-FEIRA. LOC: SENADORES ESPERAM QUE NÃO HAJA FILAS NEM AGLOMERAÇÕES NAS AGÊNCIAS DA CAIXA. REPORTAGEM DE IARA FARIAS BORGES. (Repórter) Só vai receber a segunda parcela do auxílio emergencial quem já recebeu a primeira, até 30 de abril. O pagamento desta segunda parcela começa para os beneficiários do Bolsa Família que tenham o NIS, Número de Identificação Social, com final um. Os com final dois vão receber no dia 19, terça-feira. E os demais finais serão pagos até 29 de maio. Os benefícios não são acumulados - a pessoa vai receber o que tiver maior valor: o Bolsa Família ou o auxílio emergencial. Quem não recebe o Bolsa Família e está no Cadastro Único vai receber o auxílio de 600 reais de 20 a 26 de maio, de acordo com o mês de nascimento, começando com janeiro e fevereiro. Na opinião do senador Alessandro Vieira, do Cidadania de Sergipe, não haverá aglomerações e confusões nas agências da Caixa, como aconteceu com o pagamento da primeira parcela. (Alessandro Vieira) “É provável que você tenha agora um acesso mais facilitado, tanto porque a Caixa Econômica se preparou melhor, como porque as pessoas vão ter o sentimento de que seu recurso, esse seu auxílio, está lá, garantido, não precisa um desespero para se correr para uma fila. A expectativa é que a gente tenha um pagamento mais facilitado nesta oportunidade”. (Repórter) Já o senador Plínio Valério, do PSDB do Amazonas, lembrou que existem pessoas que ainda não receberam a primeira parcela ou nem conseguiram fazer o cadastro e criticou a centralização da liberação do auxílio na Caixa. (Plínio Valério) “Sinceramente, eu espero que nós não sejamos obrigados a ver, a se chegar, as cenas deprimentes que assistimos há alguns dias atrás - briga na fila, empurra-empurra, desorganização. Eu acho que esse problema de concentrar na Caixa gera tudo isso. Já deveriam ter facilitado muito mais, dando mais opções ao brasileiro”. (Repórter) O senador Nelsinho Trad, do PSD sul-mato-grossense lembrou que, exceto os beneficiários do Bolsa Família, todos os trabalhadores receberão o auxílio emergencial na Poupança Social, o que vai evitar as filas. Ele defendeu melhor organização para não haver aglomerações. (Nelsinho Trad) “Realmente, precisa ser reequacionado. O governo deve exercer um papel mais forte para evitar a formação de filas e aglomerações, inclusive mandar servidores para esses locais para fazer uma triagem e remover das filas as pessoas que não podem sacar, conforme o calendário”. (Repórer) Para quem não é beneficiário do Bolsa Família, o dinheiro só poderá ser usado de forma digital, para pagamento de contas, boletos e compras pelo cartão de débito. O saque ou sua transferência só serão permitidos depois de 30 de maio, também de acordo com o mês de nascimento, ficando os nascidos em dezembro para 13 de junho.

A segunda parcela do auxílio emergencial de RS 600 começa a ser paga nesta segunda-feira (18) para os beneficiários do Bolsa Família que tenham o Número de Identificação Social (NIS) com final 1. Os com final 2 vão receber na terça-feira (19) e os demais finais serão pagos até 29 de maio. O senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) acredita que não haverá aglomerações nas agências da Caixa como aconteceu com o pagamento da primeira parcela, pois a liberação do dinheiro está melhor organizada. Ao criticar a centralização do auxílio emergencial na Caixa, o senador Plínio Valério (PSDB-AM) lembrou que há pessoas que ainda não receberam a primeira parcela ou nem conseguiram fazer o cadastro. O senador Nelsinho Trad (PSD-MS) defendeu a realização de uma triagem para deixar nas filas só quem, pelo calendário, pode receber. Reportagem, Iara Farias Borges.

TÓPICOS:
Amazonas  Bolsa Família  Caixa Econômica  Cidadania  Família  PSD  PSDB  Senador Alessandro Vieira  Senador Nelsinho Trad  Senador Plínio Valério  Sergipe  Coronavírus 

Senado Federal - Praça dos Três Poderes - Brasília DF - CEP 70165-900 | Telefone: 0800 61 22 11
Ao vivo