Trânsito

Publicada lei que pretende diminuir os altos índices de mortes no trânsito

01:52Publicada lei que pretende diminuir os altos índices de mortes no trânsito

Transcrição LOC: FOI PUBLICADA NO DIÁRIO OFICIAL DESTA SEXTA-FEIRA A LEI 13.614, QUE CRIA O PLANO NACIONAL DE REDUÇÃO DE MORTES E LESÕES NO TRÂNSITO. LOC: A NOVA LEGISLAÇÃO PRETENDE REDUZIR PELA METADE O NÚMERO DE MORTES NAS PISTAS ATÉ 2028. REPÓRTER MARCIANA ALVES. TEC: O Plano Nacional de Redução de Mortes e Lesões no Trânsito pretende reduzir pela metade as mortes nas estradas, em um prazo de dez anos. Uma tarefa difícil, pois, o Brasil ocupa o quinto lugar entre os países recordistas em óbitos nas rodovias, segundo a Organização Mundial da Saúde. Outro dado preocupante é o número de vítimas em acidentes com motocicletas. De acordo com o Mapa da Violência, o Brasil é o segundo no ranking mundial de ocorrências desse tipo. A faixa etária das vítimas também chama atenção. Metade das mortes foi de pessoas em idade ativa, como lembrou o senador José Pimentel, do PT do Ceará. (José Pimentel) “Quando se analisa essa quantidade de acidentes de trajeto, você identifica os motoqueiros o maior número. E são pessoas entre 20 e 40 anos de idade, em plena atividade laboral”. (REP) Para a senadora Regina Sousa do PT do Piauí, o governo tem responsabilidade sobre as vítimas de acidentes. (Regina Sousa) “Além das mortes têm aqueles que ficam com sequelas pelo resto da vida. Ficam inválidos e vão dar despesas para a previdência, então, a prevenção tem que ser da conta do governo”. (REP) O Pnatrans vai ouvir a sociedade na elaboração de campanhas permanentes de esclarecimento, além de centrar esforços na fiscalização e na divulgação de resultados. A senadora Ana Amélia, do PP do Rio Grande do Sul, acredita que a lei só vai funcionar se houver conscientização por parte dos condutores. (Ana Amélia) Mesmo que se façam leis mais duras – o nosso Código de Trânsito é um dos mais perfeitos do mundo –, mas enquanto não tiver responsabilidade e a consciência do motorista, nós vamos avançar muito pouco em relação a isso. (REP) Para estabelecer as metas anuais de redução de mortes, a Polícia Rodoviária Federal deve realizar consulta ou audiência pública com a sociedade e divulgar os dados em setembro, durante a Semana Nacional do Trânsito. Lei 13.614/2018

O Diário Oficial da União desta sexta-feira (12) publicou a Lei 13.614/2018, que cria o Plano Nacional de Redução de Mortes e Lesões no Trânsito. A nova legislação que está entrando em vigor, pretende reduzir pela metade o número de mortes nas ruas e rodovias até 2028. O Brasil ocupa o quinto lugar entre os países recordistas em mortes nas rodovias e o segundo país do mundo onde mais morrem motociclistas. Segundo o senador José Pimentel (PT-CE), o mais grave é que a maioria das vítimas fatais “são pessoas entre 20 e 40 anos de idade, em plena atividade laboral”. A senadora Regina Sousa (PT-PI) ressalta que “além das mortes têm aqueles que ficam com sequelas pelo resto da vida. Ficam inválidos e vão dar despesas para a Previdência, então, a prevenção tem que ser da conta do governo”, afirmou. Já a senadora Ana Amélia (PP-RS) acredita que a lei só vai funcionar se houver conscientização por parte dos condutores.

TÓPICOS:
Código de Trânsito  Fiscalização  Mapa da Violência  Mortes no Trânsito  Organização Mundial da Saúde  Polícia Rodoviária Federal  Previdência  Saúde  Senadora Ana Amélia  Senadora Regina Sousa  Senador José Pimentel  Trânsito  Violência 

Senado Federal - Praça dos Três Poderes - Brasília DF - CEP 70165-900 | Telefone: 0800 61 22 11