Coronavírus

Brasil passa das 150 mil mortes por covid-19

03:03Brasil passa das 150 mil mortes por covid-19

Transcrição LOC: O BRASIL PASSOU DAS 150 MIL MORTES POR COVID-19. LOC: SÓ NESTE SÁBADO FORAM REGISTRADOS MAIS DE DOZE MIL NOVOS CASOS DE COVID-19, COM 290 MORTES. REPORTAGEM DE IARA FARIAS BORGES (Repórter) Segundo o boletim do Ministério da Saúde, atualizado nessa segunda-feira, 12 de outubro, cinco milhões, cento e três mil e quatrocentos e oito brasileiros foram diagnosticados com covid-19. Desde 17 de março, quando houve a primeira vítima no país, 150 mil seiscentos e oitenta e nove pessoas morreram. Do total de contaminados, quase quatro milhões e meio se recuperaram e 457 mil estão em tratamento. No mundo, cerca de 34 milhões de pessoas foram infectadas pelo novo coronavírus. Os países mais afetados são Estados Unidos, Índia e Brasil. Segundo a OMS, Organização Mundial da Saúde, o número de infecções diárias é instável e em vários países vem aumentando. O vice-líder do governo, senador Chico Rodrigues, do Democratas de Roraima, disse que o governo federal atua de forma eficaz para o enfrentamento da pandemia e atribuiu o alto número de mortes aos governos de estados e municípios. (Chico Rodrigues): “É realmente uma situação extremamente grave e nós verificamos que o governo federal tem procurado dar todo o apoio para realmente sejam mitigados os efeitos do covid-19, o que não é fácil em função da disseminação invisível, totalmente invisível, e incontrolável dessa pandemia. Mas realmente os casos foram se ampliando e no meu entendimento se perdeu o controle. Portanto, os governos estaduais e municipais não agiram com muita eficiência no combate ao coronavírus”. (Repórter) Já a senadora Zenaide Maia, do Pros do Rio Grande do Norte, que é médica, considera que a atitude do presidente da República de minimizar a pandemia levou às mais de 150 mil mortes por covid-19. (Zenaide Maia) “É com muita tristeza que vejo o registro de mais de 150 mil óbitos no Brasil, pela covid-19. E com a certeza de que se o governo federal não tivesse negado a gravidade da doença covid-19, não teríamos tão grande número de óbitos. Nos países onde os seus dirigentes máximos negaram a gravidade da doença, os óbitos foram maiores. Pesquisa da UFRJ em parceira com Instituto Francês de Pesquisa e Desenvolvimento, mostrou que a covid-19 causou mais estragos nas cidades mais favoráveis ao presidente da República - os simpatizantes do presidente tendem a adotar o mesmo comportamento: negam a gravidade da doença, estimulam o não uso da máscara, e também os dirigentes não estimulam evitar as aglomerações. (Repórter) Ao comparar o número de mortos ao de uma guerra civil, o senador Plínio Valério, do PSDB do Amazonas, disse que o governo federal tem atuado de forma eficiente para combater o novo coronavírus. E espera pela vacina contra covid-19. (Plínio Valério): “Apesar da narrativa do presidente, sempre falando muito e dizendo muita besteira, eu acho que o governo federal agiu bem. Não faltou dinheiro. O presidente dizia uma coisa, mas na prática o Ministério da Saúde e as autoridades sanitárias fazia outra para combater esse mal. A minha expectativa com a vacina é grande porque a gente precisa voltar ao normal”. (Repórter) Pelas redes sociais, os presidentes do Senado, Davi Alcolumbre, e da Câmara, Rodrigo Maia, prestaram solidariedade às famílias das vítimas.

Segundo o Ministério da Saúde, nesta segunda-feira (12), o Brasil chegou a 150.689 mortes por covid-19. São 5.103.408 brasileiros diagnosticados com a doença, dos quais 4.495.269 se recuperaram e 457.450 estão em tratamento. Na avaliação do vice-líder do governo, senador Chico Rodrigues (DEM-RR), o governo federal atua para mitigar os efeitos da pandemia e atribuiu o aumento de mortes à ineficácia de estados e municípios. A senadora Zenaide Maia (Pros-RN), que é médica, atribuiu o alto número de óbitos à negação pelo presidente Bolsonaro da gravidade da doença.

TÓPICOS:
Amazonas  Índia  Cidades  Coronavírus  covid-19  Davi Alcolumbre  Desenvolvimento  Estados  Estados Unidos  Ministério da Saúde  Municípios  OMS  Organização Mundial da Saúde  pandemia  Presidente da República  PROS  PSDB  Redes Sociais  Rio Grande do Norte  Roraima  Saúde  Senador Chico Rodrigues  Senador Davi Alcolumbre  Senador Plínio Valério  Senadora Zenaide Maia  Solidariedade  Bolsonaro  DEM 

Senado Federal - Praça dos Três Poderes - Brasília DF - CEP 70165-900 | Telefone: 0800 0 61 2211
Ao vivo