Reforma da Previdência

Aprovado texto principal da reforma da Previdência

02:42Aprovado texto principal da reforma da Previdência

Transcrição LOC: PLENÁRIO APROVA EM SEGUNDO TURNO A REFORMA DA PREVIDÊNCIA, QUE DEVERÁ SER PROMULGADA EM NOVEMBRO. LOC: NESTA QUARTA-FEIRA, OS SENADORES VÃO VOTAR DOIS DESTAQUES APRESENTADOS PELA OPOSIÇÃO. UM DELES PODE CUSTAR ENTRE VINTE E SESSENTA BILHÕES DE REAIS. REPÓRTER HÉRICA CHRISTIAN TÉC: Por 60 votos favoráveis e 19 contrários, o Plenário do Senado aprovou em segundo turno o texto-base da Reforma da Previdência. Entre as principais mudanças estão o aumento da idade mínima e da contribuição para quem recebe acima do teto do INSS, a redução das aposentadorias e pensões e novas regras de transição. A oposição apresentou quatro destaques para retirarem alguns pontos da proposta. Dois foram rejeitados: um que manteria as regras de transição das duas últimas reformas e outro que permitiria incluir um adicional de até 40 por cento no tempo de serviço para quem trabalha em atividades insalubres ou perigosas. O terceiro destaque exclui o fim da aposentadoria especial. Segundo o senador Paulo Paim, do PT do Rio Grande do Sul, o texto atual prejudica diversas categorias, a exemplo de vigilantes e eletricistas. Diante dos questionamentos de alguns parlamentares sobre o benefício, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, do Democratas do Amapá, preferiu concluir a votação nesta quarta-feira. Segundo ele, há dúvidas sobre o fim total das aposentadorias especiais, sobre o impacto em caso de derrota do governo e sobre a volta da proposta para a Câmara por mudança de mérito. Ele solicitou um estudo da consultoria para embasar os senadores. (Davi) Ao invés de suprimir o que já está garantido, o que é a posição do governo, a gente resolveu segurar e colocar para votação amanhã para que possa esclarecer tecnicamente se há possibilidade de voltar para a Câmara e se é realmente mais um direito de um trabalhador pode ficar perdido. REP: Para o senador Randolfe Rodrigues, da Rede Sustentabilidade do Amapá, o adiamento da votação sinalizou uma derrota do governo. Ele espera que o Plenário aprove esse destaque. (Randolfe) Nós temos convicção de que íamos aprovar. Mas o principal é a justeza deste destaque. Nós estamos tirando direito daqueles que trabalham em condições de extrema periculosidade. Não se trata somente de vigilante´. Se trata, por exemplo, dos eletricistas de terem acesso à aposentadoria especial. Isso é muito grave. REP: O Plenário deverá apreciar outro destaque que retira a idade mínima para fins de aposentadoria especial decorrente de atividade com efetiva exposição a agentes nocivos à saúde. Concluída a votação nesta quarta-feira, a Reforma da Previdência deverá ser promulgada apenas em novembro. Da Rádio Senado, Hérica Christian

O Plenário do Senado aprovou em segundo turno o texto-base da Reforma da Previdência. Dois destaques da oposição foram rejeitados. Outros dois tiveram a votação adiada para esta quarta-feira diante de dúvidas sobre o pedido para suprimir o trecho que trata da aposentadoria especial por insalubridade e periculosidade. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), pediu um estudo da consultoria. Já o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) argumenta que os dois últimos destaques vão assegurar direitos dos trabalhadores em atividades nocivas. As informações são da repórter da Rádio Senado, Hérica Christian.

TÓPICOS:
Amapá  Aposentadoria  Aposentadoria Especial  Davi Alcolumbre  DEM  INSS  Oposição  Periculosidade  Plenário do Senado  Previdência  PT  Rede  Rede Sustentabilidade  Reforma da Previdência  Rio Grande do Sul  Saúde  Senador Davi Alcolumbre  Senador Paulo Paim  Senador Randolfe Rodrigues  Sustentabilidade 

Senado Federal - Praça dos Três Poderes - Brasília DF - CEP 70165-900 | Telefone: 0800 61 22 11
Ao vivo