Senado aprova projeto que regulamenta profissão de instrumentador cirúrgico — Rádio Senado

Senado aprova projeto que regulamenta profissão de instrumentador cirúrgico

O Plenário do Senado aprovou o projeto de lei da Câmara que regulamenta a profissão de instrumentador cirúrgico. De acordo com o texto, o instrumentador cirúrgico é profissional da área da saúde com a função de acompanhar e participar de todas as fases de uma operação. Ao profissional também cabe prestar serviços ao paciente e à própria equipe cirúrgica. O projeto segue para sanção presidencial.

PLC 75/2014

30/11/2022, 21h16 - ATUALIZADO EM 30/11/2022, 21h26
Duração de áudio: 02:33
Getty Images/iStockphoto

Transcrição
O SENADO APROVOU O PROJETO QUE REGULAMENTA PROFISSÃO DE INSTRUMENTADOR CIRÚRGICO. REPÓRTER PEDRO PINCER: O Plenário do Senado aprovou o projeto de lei da Câmara que regulamenta a profissão de instrumentador cirúrgico. De acordo com o texto, o instrumentador cirúrgico é o profissional da área da saúde com a função de acompanhar e participar de todas as fases de uma operação. Ao profissional também cabe prestar serviços ao paciente e à própria equipe cirúrgica. O instrumentador cirúrgico deve ter formação específica ministrada por escola oficial ou reconhecida pelo governo federal ou por escola estrangeira com diploma revalidado no Brasil. Também estão habilitados os profissionais que, na data da entrada em vigor da lei, tenham exercido, comprovadamente, por no mínimo dois anos, a função de instrumentador cirúrgico. O projeto estabelece como atribuições do profissional ordenar e controlar o instrumental cirúrgico, preparar o instrumental a ser utilizado nas cirurgias, selecionar e apresentar os instrumentos ao médico-cirurgião e aos auxiliares. Ao instrumentador cirúrgico também cabe efetuar assepsia dos materiais, preparar e desmontar as mesas para as cirurgias e guardar o material cirúrgico. O relator, senador Paulo Paim, do PT gaúcho, destaca o papel exercido por esses profissionais. Assim, resta evidente, pela sua importância e complexidade, que as atividades de instrumentador cirúrgico exigem do profissional uma habilitação específica, que agora a lei passa a reconhecer. Reconhecer a profissão, então, é uma forma de aplaudir esse trabalho de tantos, elevando em alguns graus os indicadores de cidadania desses grupos, permitindo que eles se organizem para melhorar suas condições de trabalho. A senadora Rose de Freitas, do MDB do Espírito Santo, destacou a importância do trabalho dos instrumentadores.  Esse profissional que é um profissional da área de saúde igual outro, só que esse está ali ao lado do cirurgião. Ele que cuida da assepsia, ele que cuida de monitorar se todos os instrumentos estão ali, são necessários, se falta algum. A responsabilidade desse profissional é enorme, são comprovadamente especializados no que fezem. O projeto trata ainda dos deveres profissionais. A matéria considera infrações ao Código de Ética Profissional negar a assistência de instrumentação cirúrgica em caso de emergência ou abandonar o campo cirúrgico sem garantia de substituição. O projeto segue agora para sanção presidencial. Da Rádio Senado, Pedro Pincer

Ao Vivo

Não é usuário? Cadastre-se.

Ao vivo
00:0000:00