Exposição 200 Anos de Cidadania: O Povo e o Parlamento termina nesta quinta-feira — Rádio Senado
Bicentenário da Independência

Exposição 200 Anos de Cidadania: O Povo e o Parlamento termina nesta quinta-feira

Termina nesta quinta-feira (1) a exposição "200 Anos de Cidadania: o Povo e o Parlamento", que faz uma retrospectiva histórica de como, desde a Independência do Brasil, em 1822, até os dias de hoje, os movimentos sociais impulsionaram avanços nas leis que regem os direitos civis e políticos da população brasileira.

29/11/2022, 12h24 - ATUALIZADO EM 29/11/2022, 12h43
Duração de áudio: 02:33
Marcos Oliveira/Agência Senado

Transcrição
LOC: A EXPOSIÇÃO '200 ANOS DE CIDADANIA: O POVO E O PARLAMENTO' VAI TERMINAR EM PRIMEIRO DE DEZEMBRO LOC: A MOSTRA FAZ PARTE DAS COMEMORAÇÕES DO BICENTENÁRIO DA INDEPENDÊNCIA E FOI ORGANIZADA EM CONJUNTO PELO MUSEU DO SENADO E PELO CENTRO CULTURAL DA CÂMARA DOS DEPUTADOS. REPÓRTER PEDRO PINCER Termina na próxima quinta-feira, no Salão Negro do Congreso Nacional,  a exposição "200 Anos de Cidadania: o Povo e o Parlamento", que faz uma retrospectiva histórica de como, desde a Independência do Brasil, em 1822, até os dias de hoje, os movimentos sociais impulsionaram avanços nas leis que regem os direitos civis e políticos da população brasileira. Textos didáticos, fotos, projeções multimídia, moedas e exemplares das 7 Constituições Federais foram reunidos, destacando conquistas relacionadas aos direitos políticos e da mulher, direito à saúde, ao trabalho, direito à educação e ao meio ambiente, direitos indígenas e das comunidades negras, direitos LGBTI+, do idoso, da pessoa com deficiência, da criança e do adolescente.   A exposição contou com a curadoria dos servidores Renato Gilioli, da Câmara, e Sylvio Costa, do Senado. Sylvio afirma que a exposição teve presença maciça de estudantes e aponta as razões pelas quais a mostra despertou tanto interesse. Porque ela tem um olhar original sobre o processo de Independência brasileira. Eu acho que nós conseguimos trazer uma visão do processo de Independência que vai muito além daquela imagem tradicional de um processo de emancipação determinado pelo gesto, pelo famoso grito de Independência de Dom Pedro. A Independência brasileira não foi produto da ação solitária de uma pessoa, e ela está intimamente relacionada com um processo de conquista de cidadania no país. Sylvio Costa diz ainda que há várias maneiras de contar a história da Independência do Brasil, mas um ponto indiscutível é que somente a partir da Constituição de 1988 o conceito de cidadania foi expandido, reconhecendo direitos negados por muito tempo. Ele diz qual legado que espera que a mostra vai deixar a quem teve a oportunidade de visitá-la. A gente espera estar trazendo um trabalho que nos ajude a refletir sobre o país, para usar as palavras da historiadora Heloisa Starling, que aliás ilustra alguns dos vídeos exibidos na exposição, é a exposição que nos faz refletir um pouco sobre o país que a gente é e o país que a gente poderia ter sido ou que um dia, quem sabe, ainda poderá ser. O evento faz parte das atividades programadas pela Comissão Especial da Independência do Brasil, coordenada pelo deputado Enrico Misasi, do MDB de São Paulo e pela Comissão Especial Curadora para o Bicentenário da Independência, coordenada pelo senador Randolfe Rodrigues, da Rede do Amapá. Da Rádio Senado, Pedro Pincer

Ao Vivo

Não é usuário? Cadastre-se.

Ao vivo
00:0000:00