Aberta a Exposição “200 Anos de Cidadania: O Povo e o Parlamento” — Rádio Senado
Bicentenário da Independência

Aberta a Exposição “200 Anos de Cidadania: O Povo e o Parlamento”

A exposição “200 Anos de Cidadania: O Povo e o Parlamento” foi aberta pelo presidente do Congresso Nacional, Rodrigo Pacheco, em cerimônia nesta quinta-feira (8). Participaram da abertura os ex-presidentes da República José Sarney e Michel Temer; o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux; o Procurador-Geral da República, Augusto Aras, bem como chefes de Estado estrangeiros, ministros e embaixadores. A exposição, que revisita a Independência para mostrar a evolução de direitos até hoje, ficará aberta à visitação no Salão Negro do Congresso Nacional a partir de sábado (10) até 1º de dezembro.

08/09/2022, 14h17 - ATUALIZADO EM 08/09/2022, 14h21
Duração de áudio: 02:55
Marcos Oliveira/Agência Senado

Transcrição
O PRESIDENTE DO CONGRESSO ABRIU NESTA QUINTA-FEIRA A EXPOSIÇÃO “200 ANOS DE CIDADANIA: O POVO E O PARLAMENTO”.  A MOSTRA ESTARÁ ABERTA À VISITAÇAO ATÉ PRIMEIRO DE DEZEMBRO. REPORTAGEM DE IARA FARIAS BORGES. Organizada pelo Museu do Senado e o Centro Cultural da Câmara dos Deputados, a exposição “200 Anos de Cidadania: O Povo e o Parlamento” foi aberta pelo presidente do Congresso Nacional, senador Rodrigo Pacheco. A mostra, que faz parte das comemorações do Bicentenário da Independência, repensa a independência, não apenas mostrando os fatos ocorridos há 200 anos, mas partindo de 1822 para examinar a história do país até hoje, com legislações que garantem os direitos, por exemplo, das crianças, idosos e pessoas com deficiência, como explicou Rodrigo Pacheco. Parte desta história poderá ser revivida no Salão Negro deste Palácio do Congresso Nacional. Inauguramos hoje a exposição “200 Anos de Cidadania: O Povo e o Parlamento”. Como a exposição retrata, o bicentenário do país assistiu a uma caminhada constante do povo brasileiro na direção de uma verdadeira era dos direitos, com a busca pela concretização de ideias de emancipação política, direitos civis e políticos, direitos sociais, direitos coletivos. Ao visitar a exposição, o cidadão poderá ver e manusear réplicas da Carta de 1824 e das demais seis Constituições brasileiras. A mostra também expõe cédulas e moedas históricas, bem como vídeos com entrevistas de historiadores e lideranças de diversos segmentos da sociedade que falam do passado e questionam o presente e o futuro do Brasil independente. A exposição ficará aberta à visitação no Salão Negro do Congresso Nacional a partir de sábado, 10 de setembro, até 1º de dezembro. O horário em dias de semana será das 9h ao meio dia e das 13h às 18h; e nos finais de semana das 9h às 17h. Participaram da abertura da Exposição o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira; os ex-presidentes da República José Sarney e Michel Temer e os presidentes de Portugal, Marcelo Rebelo; de Cabo Verde, José Maria Neves; e de Guiné Bissau, Umaro Sissoco, bem como o representante da Presidência de Moçambique, o deputado Sérgio José Pantie. Além do presidente da Comissão Especial Curadora para as celebrações do Bicentenário da Independência, senador Randolfe Rodrigues, da Rede Sustentabilidade do Amapá, também prestigiaram a abertura da mostra o presidente do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux; e o procurador-geral da República, Augusto Aras; ministros e embaixadores e outras autoridades. O presidente Jair Bolsonaro, que havia confirmado presença, cancelou sua participação no evento. Da Rádio Senado, Iara Farias Borges.

Ao Vivo

Não é usuário? Cadastre-se.

Ao vivo
00:0000:00