Sete estados correm o risco de não ter seringas para começar vacinação contra covid-19 — Rádio Senado
Vacinação

Sete estados correm o risco de não ter seringas para começar vacinação contra covid-19

O Ministério da Saúde informou ao Supremo Tribunal Federal que sete estados não têm a quantidade necessária de seringas para concluir o esquema vacinal contra a covid-19 em grupos prioritários: Acre, Bahia, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Paraíba, Pernambuco e Santa Catarina. A prestação de contas atende a um pedido da Rede Sustentabilidade. O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) requisitou o planejamento do governo federal para suprir essa demanda nas próximas 48h. A reportagem é de Marcella Cunha, da Rádio Senado.

14/01/2021, 15h12 - ATUALIZADO EM 14/01/2021, 15h12
Duração de áudio: 02:50
Foto: stockphotos/diretos reservados

Transcrição
LOC: SETE ESTADOS CORREM O RISCO DE NÃO TER ESTOQUE SUFICIENTE DE SERINGAS PARA COMEÇAR A VACINAÇÃO CONTRA A COVID-19 LOC: A INFORMAÇÃO FOI PASSADA PELO MINISTÉRIO DA SAÚDE AO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL A PEDIDO DA REDE SUSTENTABILIDADE. A REPORTAGEM É DE MARCELLA CUNHA (Repórter) O Ministério da Saúde informou ao Supremo Tribunal Federal que não há estoque suficiente de seringas para a vacinação inicial contra a covid-19 em todos os estados. Na última semana, o ministro da saúde, Eduardo Pazuello, disse que não havia falta de seringas. Mas um documento enviado ao STF, assinado pelo próprio Pazuello, demonstra que sete estados podem não ter a quantidade necessária para dar início ao plano de imunização: Acre, Bahia, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Paraíba, Pernambuco e Santa Catarina. A prestação de contas atende a um pedido da Rede Sustentabilidade. O líder da sigla no Senado, Randolfe Rodrigues, do Amapá, anunciou que irá requisitar o planejamento do governo federal para garantir o estoque adequado. (Randolfe) O senhor presidente da República e o senhor Ministro da Saúde mentiram à nação, mentiram aos brasileiros quando disseram que possuíam estoques. Nós iremos agora requisitar que o Ministério da Saúde em 48 horas informe as medidas que estará tomando para que os brasileiros possam ter seringas agulhas e desta forma começar a imunização e a vacinação. (Repórter) Os quatro grupos prioritários no plano de imunização são: doentes crônicos, idosos, profissionais de saúde e de segurança pública. No total, representam 109 milhões de pessoas que devem tomar duas doses da vacina, sendo necessárias 218 milhões de seringas e agulhas. O Ministério da Saúde calcula que os estados têm aproximadamente 52 milhões. E diz que compete a eles a responsabilidade pela aquisição desses insumos, cabendo à União apenas a compra do imunizante. O vice-líder do governo no Congresso Nacional, senador Márcio Bittar, do MDB do Acre, ressaltou que novas unidades já foram encomendadas e que o plano de imunização começará ainda em janeiro. (Márcio Bittar) O ministro da saúde do Governo do presidente Jair Bolsonaro anunciou que nós já temos compradas, adquiridas 350 milhões de vacinas. Além disso, o ministério já possui mais de 60 milhões de seringas e já tem mais encomendas. O Brasil na América Latina é o único país que disponibiliza de três laboratórios fazendo a vacina contra o covid-19. Então, a partir desse mês de janeiro a vacina começará a ser aplica nos grupos de risco. (Repórter) O governo federal já havia solicitado 30 milhões de seringas aos três laboratórios que produzem o insumo no Brasil. Essas unidades devem ser entregues até 31 de janeiro e outras 30 milhões acabam de ser encomendadas para serem entregues em fevereiro. Além disso, a OPAS, Organização Pan-Americana de Saúde, vai repassar 40 milhões de seringas para o Brasil até o fim de julho.

Ao vivo
00:0000:00