Brasil registra em 2020 maior número de focos de incêndio em uma década — Rádio Senado
Meio ambiente

Brasil registra em 2020 maior número de focos de incêndio em uma década

O Brasil registrou em 2020 o maior número de queimadas em uma década. O aumento foi de 12,73%. E o senador Wellington Fagundes (PL-MS), que presidiu no ano passado a comissão temporária externa que acompanhou as ações de enfrentamento aos incêndios no Pantanal, alertou que a situação pode se repetir em 2021 por causa da seca, que deve continuar castigando a região. As informações na reportagem de Maurício de Santi, da Rádio Senado. 

05/01/2021, 12h43 - ATUALIZADO EM 05/01/2021, 12h43
Duração de áudio: 01:25
Foto: CBMS

Transcrição
LOC: O BRASIL REGISTROU EM 2020 O MAIOR NÚMERO DE INCÊNDIOS FLORESTAIS EM 10 ANOS. OS DADOS FORAM DIVULGADOS PELO INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS, INPE. LOC: UM DOS ESTADOS MAIS ATINGIDOS, MATO GROSSO DO SUL, ACABA DE ANUNCIAR A CRIAÇÃO DE UM PLANO PERMANENTE DE COMBATE ÀS QUEIMADAS. A REPORTAGEM É DE MAURÍCIO DE SANTI: (Repórter) Os focos de incêndio chegaram a 222 mil 798 em 2020, número 12,73 por cento maior em comparação a 2019. E o mais alto registrado nos últimos dez anos. As informações foram divulgadas nos primeiros dias de janeiro pelo Programa Queimadas do Inpe. O Pantanal foi o bioma com o pior aumento, mais de 100 por cento em relação a 2019. A estimativa é que o fogo tenha destruído pelo menos 23 por cento do Pantanal. Mas houve alta em outros biomas também, como na Amazônia, um crescimento de 15,68 por cento. O senador Wellington Fagundes, do PL de Mato Grosso, presidiu no ano passado uma Comissão Externa Temporária do Senado sobre os incêndios no Pantanal. Ele alertou para a possibilidade de que as queimadas continuem em 2021 por causa da seca que deve se prolongar na região: (Wellington Fagundes) as perspectivas não são das melhores como apontam as previsões climáticas segundo as quais teremos ainda quatro ou cinco anos de seca severa. (Repórter) O governo de Mato Grosso do Sul anunciou a criação de um plano permanente de enfrentamento às queimadas. Serão investidos 56 milhões de reais na compra de veículos e equipamentos para darem uma resposta rápida contra as chamas. Também estão previstas ações de treinamento de bombeiros e brigadistas e o aprimoramento das técnicas de resgate de animais das áreas atingidas pelo fogo.

Ao vivo
00:0000:00