Senadores divergem sobre relatório que aponta falta de planejamento do governo na pandemia — Rádio Senado
Coronavírus

Senadores divergem sobre relatório que aponta falta de planejamento do governo na pandemia

Os senadores da oposição afirmaram que não se surpreenderam com o relatório do Tribunal de Contas da União apontando falta de planejamento do governo no combate à pandemia. Alessandro Vieira (Cidadania-SE) citou a falta de articulação do Ministério da Saúde com estados e municípios e alertou para a responsabilização das autoridades. Já Humberto Costa (PT-PE) lembrou que o presidente da República minimiza os riscos da covid-19 e desestimula a vacinação. Em defesa do governo, o senador Marcos Rogério (DEM-RO) enumerou diversas ações, como o auxílio emergencial e a compra de equipamentos. As informações são da repórter Hérica Christian, da Rádio Senado.

22/12/2020, 17h55 - ATUALIZADO EM 22/12/2020, 18h53
Duração de áudio: 03:30
Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado

Transcrição
LOC: OPOSIÇÃO DIZ QUE RELATÓRIO DO TCU APENAS OFICIALIZA A FALTA DE PLANEJAMENTO DO GOVERNO NO COMBATE À PANDEMIA DO NOVO CORONAVÍRUS. LOC: ALIADO DO PRESIDENTE BOLSONARO REFORÇA AÇÕES FEDERAIS QUE MINIMIZARAM OS PREJUÍZOS CAUSADOS PELA COVID-19. REPÓRTER HÉRICA CHRISTIAN (Repórter) Em relatório aprovado por unanimidade, os ministros do Tribunal de Contas da União concluíram que o Ministério da Saúde não tem qualquer estratégia nacional no combate ao novo coronavírus. Os auditores da Secretaria de Controle Externo da Saúde do TCU revelaram a falta de planejamento e de um trabalho em parceria do governo federal com governadores e prefeitos ao longo desses nove meses de pandemia. Eles citaram ainda que materiais, remédios e equipamentos comprados pelo Ministério da Saúde não foram enviados para estados e municípios. Os técnicos também alertaram que não há um plano para aquisição e distribuição de seringas e agulhas necessárias para a vacinação. Ao afirmar que o relatório do TCU não surpreendeu, o senador Alessandro Vieira, do Cidadania de Sergipe, alertou para eventuais ações contra o governo. (Alessandro Vieira) O relatório aprovado por unanimidade pelo TCU só confirma aquilo que já apontamos há muito tempo: a falta de cuidado, a falta de planejamento do governo federal em relação ao combate à pandemia. As consequências são desemprego, sofrimento do povo e mais mortes. Isto tudo vai acabar gerando em algum momento a responsabilização das autoridades que não estão adotando as medidas cabíveis. (Repórter) Ao citar diversas ações do governo federal, a exemplo do auxílio emergencial e do Pronampe, o senador Marcos Rogério, do Democratas de Rondônia, considerou equivocado o relatório do TCU. (Marcos Rogério) Respeito o Tribunal de Contas da União, mas o papel dele é o de controle externo da Administração Pública e não de emitir opinião com relação àquilo que é da competência, da prerrogativa do governo. Acho que o governo federal vem agindo no sentido de garantir assistência aos que mais precisam de socorro para os setores importantes para a economia do país. Foi assim com relação às Micro e Pequenas Empresas com o Pronampe, as empresas do setor aéreo, do setor elétrico. (Repórter) Além de criticar a falta a planejamento do governo, o senador Humberto Costa, do PT de Pernambuco, ressaltou a postura do presidente Bolsonaro de considerar a covid-19 uma gripezinha e ainda desaconselhar a vacinação. (Humberto Costa) Quando se abre uma luz no fim do túnel com o surgimento de vacinas, o presidente da República e seu governo, mais uma vez, cometem um desserviço ao tratarem de forma política e ideológica um tema que deveria ser visto meramente sobre o ângulo da ciência e do interesse das pessoas. Portanto, o Tribunal de Contas apenas constatou aquilo que todos nós sabemos que Bolsonaro também no enfrentamento à covid tem um governo que é um fracasso. (Repórter) Mas o senador Marcos Rogério ponderou que a pandemia surpreendeu todos os países, que ao longo do processo estão adotando medidas sem planejamento. (Marcos Rogério) É claro que ninguém tinha um plano elaborado, perfeito para o enfrentamento à pandemia. As situações vão se modificando no curso do tempo e o governo precisa se ajustar a elas. E tem em tudo isso a participação do Congresso Nacional. Nesse caso, há acertos e erros em razão justamente da aleatoriedade dos acontecimentos. Mas acho que o governo tem acertado muito e tem sido extremamente competente. (Repórter) Por meio de nota, o Ministério da Saúde informou que está mobilizado para combater a pandemia com a compra de equipamentos, além de seringas e agulhas para a vacinação prevista para o ano que vem.

Ao vivo
00:0000:00