Meio ambiente

Plenário deve debater queimadas na Amazônia e no Pantanal

O senado poderá realizar sessão temática com o vice-presidente da República Hamilton Mourão e especialistas para debater o aumento das queimadas na Amazônia e no Pantanal. De iniciativa do senador Luis Carlos Heinze (PP-RS), o debate tem o objetivo de esclarecer, com dados técnicos, a verdadeira situação dessas regiões. O senador Heinze disse que “uma “maciça campanha internacional” prejudica a imagem do Brasil e o desenvolvimento sócio-econômico do país. Além de Mourão, serão convidados para a sessão representantes da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam) e da Universidade Federal do Amazonas. O requerimento será analisado em Plenário. Reportagem, Iara Farias Borges.

26/11/2020, 12h31 - ATUALIZADO EM 26/11/2020, 12h39
Duração de áudio: 02:11
Foto: Takumã Kuikuro

Transcrição
LOC: UMA SESSÃO TEMÁTICA NO SENADO DEVE DISCUTIR COM O VICE-PRESIDENTE HAMILTON MOURÃO E ESPECIALISTAS AS QUEIMADAS NA AMAZÔNIA E NO PANTANAL. LOC: O REQUERIMENTO DO SENADOR LUIS CARLOS HEINZE, DO PP GAÚCHO, SERÁ ANALISADO PELO PLENÁRIO NA PRÓXIMA SEMANA. REPORTAGEM DE IARA FARIAS BORGES (Repórter) Segundo o requerimento, o objetivo do debate é discutir “informações questionáveis” e apresentar dados confiáveis, principalmente à comunidade internacional, sobre o aumento de queimadas na Amazônia e no Pantanal. A ideia é demonstrar, com dados técnicos, o desenvolvimento agrícola na Amazônia e que os produtores agropecuários preservam o meio ambiente. Ao criticar a interferência de países desenvolvidos em questões ambientais brasileiras, o senador Luis Carlos Heinze, do PP gaúcho, autor da iniciativa, disse que há uma “maciça campanha internacional” para comprometer a imagem do Brasil e prejudicar o desenvolvimento social e econômico do país. Justamente os países que mais poluem pretendem definir áreas de preservação no Brasil, disse o senador Heinze, que também é produtor agropecuário. (Luis Carlos Heinze): “Criticam o Brasil quem não tem moral para criticar o Brasil. Pelos dados que eu tenho de qualquer país da Europa, da China, do Japão, dos Estados Unidos, não podem falar o que estão falando do Brasil, de forma irresponsável, atacando nosso país e a agricultura que eu tenho prazer de representar e defender”. (Repórter) Ao ressaltar que o Brasil é uma potência agrícola que alimenta o mundo, o senador Heinze disse que é preciso mostrar a verdade e desarticular a rede de intrigas. Para isso, o senador sugere a participação do vice-presidente da República, Hamilton Mourão, que também é presidente do Conselho Nacional da Amazônia Legal; do chefe-geral da Embrapa, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, Evaristo Miranda; do presidente do Ibama, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis, Eduardo Bim; do pesquisador da Embrapa Amazônia, Alfredo Homma; do diretor-geral do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia, Rafael Costa; e da doutora em Bioenergia e pesquisadora da Universidade Federal do Amazonas, Eyde Bonatto. O requerimento de realização da sessão temática será analisado em Plenário. Requerimento 2.771/2020

Ao vivo
00:0000:00