Pandemia

Senadores querem explicação de Pazuello sobre testes de covid-19 prestes a vencer

A comissão mista que acompanha as ações do governo de combate ao coronavírus aprovou dois requerimentos de convite ao ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. A reunião deve acontecer na primeira semana de dezembro. A senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA), autora de um dos pedidos, quer que o ministro explique por que 6,8 milhões de testes de diagnóstico da covid-19 com prazo de validade em janeiro não foram distribuídos para a rede pública. A reportagem é de Marcella Cunha.

25/11/2020, 16h35 - ATUALIZADO EM 25/11/2020, 16h35
Duração de áudio: 01:57
Foto: Najara Araujo/Câmara dos Deputados

Transcrição
LOC: PAZUELLO TERÁ QUE EXPLICAR À COMISSÃO MISTA DA COVID-19 POR QUE QUASE SETE MILHÕES DE TESTES PARA DIAGNÓSTICO DO CORONAVÍRUS ESTÃO VENCENDO SEM TEREM SIDO DISTRIBUÍDOS. LOC: O MINISTRO DA SAÚDE TAMBÉM DEVERÁ ATUALIZAR OS PARLAMENTARES SOBRE A SITUAÇÃO DAS CINCO PRINCIPAIS VACINAS EM DESENVOLVIMENTO NO PAÍS. A REPORTAGEM É DE MARCELLA CUNHA TÉC: A comissão mista que acompanha as ações do Governo de combate ao coronavírus aprovou dois requerimentos de convite ao Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. A reunião deve acontecer na primeira semana de dezembro. A senadora Eliziane Gama, do Cidadania do Maranhão, autora de um dos pedidos, quer que o Ministro explique por que seis milhões e oitocentos mil testes de diagnóstico da covid-19 com prazo de validade em janeiro não foram distribuídos para a rede pública. (Eliziane) É muito importante que neste momento nós tenhamos informações do Ministério da Saúde quando o mundo inteiro aguarda, na verdade, a chegada das vacinas. Nós, realmente, precisamos entender o porquê de o Ministério da Saúde não ter distribuído os seis milhões de testes que vieram para o diagnóstico da Covid-19. (REP) O teste, conhecido como RT-PCR, é um dos mais eficazes para o diagnóstico da covid-19 e chega a custar 400 reais na rede privada. As unidades próximas ao vencimento estão guardadas em um depósito em Guarulhos e teriam custado cerca de 300 milhões de reais à União. Para o senador Esperidião Amim, do PP de Santa Catarina, é preciso garantir que eles sejam distribuídos para a população antes do fim da validade. (Esperidião) Testagem maciça sempre foi um anseio brasileiro, e temos ainda 6,4 milhões de testes pagos e armazenados, vencíveis, com validade até janeiro ou fevereiro. Ainda dá para resolver, dá para distribuir. Nós estamos tendo se não uma segunda onda, pelo menos uma recaída. (REP) Amim é autor de um requerimento para que Pazuello também atualize a comissão sobre a reunião do Ministério da Saúde com as cinco produtoras de vacina no Brasil que estão em fase avançada de testes. Da Rádio Senado, Marcella Cunha

Ao vivo
00:0000:00