Apagão Amapá

Senadores vão ouvir diretor-geral da Aneel sobre apagão no Amapá nesta terça

A Comissão Mista da Covid-19 vai ouvir na terça-feira (17) André Pepitone, diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), sobre o apagão no Amapá. Senadores acusam a Aneel de negligência por não ter agido, mesmo sabendo que um dos transformadores reserva estava parado havia 11 meses. A agência espera que a energia seja totalmente retomada no estado até quarta (18). A reportagem é de Roberto Fragoso, da Rádio Senado.

13/11/2020, 18h55 - ATUALIZADO EM 13/11/2020, 18h55
Duração de áudio: 01:32
Transformador que parou de funcionar e causou o apagão de energia no Amapá.
Foto: Foto: Divulgação/Ministério de Minas e Energia

Transcrição
LOC: A COMISSÃO MISTA DA COVID-19 VAI OUVIR NA PRÓXIMA TERÇA-FEIRA O DIRETOR-GERAL DA AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA. LOC: ELE DEVE ESCLARECER AS CAUSAS DO APAGÃO NO AMAPÁ E SE HOUVE NEGLIGÊNCIA DA ANEEL NA FISCALIZAÇÃO DA CONCESSIONÁRIA. REPÓRTER ROBERTO FRAGOSO. TÉC: A vinda do diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica, André Pepitone, à comissão mista que acompanha as medidas de combate à pandemia foi confirmada para terça-dia 17. Ele deve esclarecer os fatos que levaram ao apagão no Amapá. A falta de energia foi causada por um incêndio em uma subestação em Macapá no dia 3 de novembro, o que provocou o desligamento automático da linha de transmissão Laranjal/Macapá e das usinas hidrelétricas de Coaracy Nunes e Ferreira Gomes. A pane deixou 14 dos 16 municípios do estado sem luz e afetou o abastecimento de água. Senadores acusam a Aneel de negligência por não ter agido, sabendo que um dos transformadores reserva estava parado havia onze meses. Randolfe Rodrigues, da Rede Sustentabilidade do Amapá, autor do convite para ouvir o presidente da Aneel, disse que o apagão veio na pior hora para o estado, que enfrenta um novo aumento nos números de infectados pelo coronavírus. (Randolfe Rodrigues) Nós estávamos na crescente de uma segunda onda da pandemia. Desde o começo do apagão, nós não conseguimos registrar o aumento do número de casos. Nós estamos convidando o Presidente da Aneel por uma razão especial: o que aconteceu aqui não foi culposo, foi doloso. Não é somente ter deixado uma empresa privada sucateada, já falida, cuidando do sistema de energia elétrica de 800 mil pessoas, é mais grave que isso: é não ter fiscalizado. Não pode. (Repórter) A agência informou que o fornecimento de energia deve ser 100% reestabelecido até a próxima quarta-feira, dia 18, prazo menor que o que havia sido calculado pela Companhia de Eletricidade do Amapá, que previu a retomada completa para o dia 26. Da Rádio Senado, Roberto Fragoso.

Ao vivo
00:0000:00