Comissão da Covid-19 vai ouvir Anvisa e Instituto Butantan sobre CoronaVac — Rádio Senado
Coronavírus

Comissão da Covid-19 vai ouvir Anvisa e Instituto Butantan sobre CoronaVac

A Comissão Mista da Covid-19 vai ouvir nesta sexta-feira (13) o presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres, e o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, sobre a CoronaVac, desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac. A Anvisa voltou atrás e autorizou a retomada dos testes da vacina após recomendações técnicas. O senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) afirmou que o recuo da Anvisa aumenta as dúvidas sobre os protocolos da agência para a liberação das vacinas contra o novo coronavírus. Já a senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA) alertou que a Anvisa tem demonstrado se valer de decisões políticas e ideológicas neste processo ao citar a postura do presidente Bolsonaro. As informações são da repórter Hérica Christian, da Rádio Senado.

11/11/2020, 14h18 - ATUALIZADO EM 11/11/2020, 15h23
Duração de áudio: 02:26
Foto: GOVESP

Transcrição
LOC: A COMISSÃO MISTA DA COVID-19 VAI OUVIR NESTA SEXTA-FEIRA O PRESIDENTE DA ANVISA E O DIRETOR DO INSTITUTO BUTANTAN SOBRE OS TESTES DA VACINA CHINESA. LOC: SENADORES ALERTAM QUE A AGÊNCIA DEVE SER TÉCNICA E NÃO CEDER A PRESSÕES POLÍTICAS PARA A LIBERAÇÃO DOS IMUNIZANTES. REPÓRTER HÉRICA CHRISTIAN (Repórter) Após a recomendação do Comitê Internacional Independente e do Conselho Nacional de Ética em Pesquisa, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária voltou atrás e liberou os testes da vacina chinesa. O próprio Instituto Butantan foi surpreendido com a decisão ao esclarecer que a morte de um dos voluntários não tem relação com o estudo por se tratar de suicídio. Em meio às repercussões do atraso que seria a suspensão dos testes já em fase avançada, a Comissão Mista da Covid-19 aprovou convites para o presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres, e para o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, esclarecerem a polêmica envolvendo a chamada Coronavac e outros imunizantes contra o novo coronavírus nesta sexta-feira. Um dos defensores da audiência, Alessandro Vieira, do Cidadania de Sergipe, antecipou que o recuo da Anvisa não esclarece o protocolo sobre a liberação das vacinas que vão salvar vidas. (Alessandro) A autorização para a retomada dos testes não muda a necessidade que nós temos de ouvir muito claramente tanto a Anvisa quanto o Butantan para que a gente possa ter um procedimento cada vez mais transparente e eficiente. Nós já temos países na Europa programando o seu sistema de vacinação, enquanto isso, o Brasil ainda patina nessa discussão política que acaba invadindo a esfera técnica. (Repórter) Ao lembrar das manifestações contrárias do presidente da República à vacina chinesa por ser desenvolvida pelo governo de São Paulo, a senadora Eliziane Gama, do Cidadania do Maranhão, avalia que a suspensão seguida da liberação dos testes da coronavac colocam em xeque a autonomia da Agência. (Eliziane Gama) Em havendo a necessidade da suspensão de um estudo por precaução tem que ocorrer a suspensão. Mas quando há recomendações outras, essa continuidade precisa de fato acontecer sob pena de que a Agência não estaria agindo do ponto de vista técnico, mas sim do ponto de vista político e ideológico. E isso realmente nós não podemos admitir. (Repórter) Ainda durante a votação dos convites, senadores citaram que o Reino Unido iniciará a vacinação contra o novo coronavírus em dezembro. A audiência virtual da Comissão Mista da Covid-19 para ouvir o presidente da Anvisa e o diretor do Instituto Butantan está prevista para esta sexta-feira.

Ao vivo
00:0000:00